Nick Hayes, diretor de Active Fixed Income Allocation And Total Return e gestor do fundo AXA WF Global Strategic Bonds. Comentário patrocinado pela Axa Investment Managers

A procura por rentabilidades atrativas e ajustadas ao risco

O fundo AXA WF Global Strategic Bonds tem como objetivo oferecer aos investidores uma rentabilidade total a médio prazo atrativa e ajustada ao risco. O fundo oferece uma exposição a obrigações globais e tira partido da experiência da AXA IM nos mercados obrigacionistas. Em 2019, o fundo conseguiu uma rentabilidade de +9,6%,1 a maior em termos de rentabilidade year to date, tendo beneficiado sobretudo do seu posicionamento em ativos de longa duração num ambiente de fim de ciclo. 2020 também foi um ano positivo, apesar do caos instalado pela pandemia e da recessão económica profunda. Este ano, a rentabilidade year to date do fundo é de +4,3% (dados de 30 de setembro de 2020),1 tendo mostrado alguma resiliência durante a queda de março. Desde então, a carteira sofreu uma rotação na direção de oportunidades que apresentam melhores rentabilidades para, assim, tirar partido da recuperação. O track record atrativo a longo prazo e o rácio de Sharpe acima de 1 a um, três e cinco anos, assim como desde o lançamento1, também contribuem para o bom cartão de visita desde fundo.

Fonte: AXA IM, dados de 30/09/2020. Os resultados anteriores não são um indicador dos resultados futuros

O investimento nos mercados financeiros envolve o risco de perda de capital.

Um marco importante

Desde o seu lançamento em maio de 2012, o fundo tem beneficiado de uma gestão bastante consistente, liderada pelo gestor de carteiras Nick Hayes e apoiada pelo vasto leque da nossa plataforma de obrigações globais. Com o forte momentum comercial, o tamanho dos ativos do fundo mais do que duplicou desde o início de 2019, atingindo os 1300 milhões de dólares a 7 de outubro de 2020, o que veio também complementar o seu desempenho a longo prazo.

Não se pode subestimar a importância destes fluxos de entrada durante a queda de março de 2020. Num momento em que as correlações tradicionais entre classes de ativos se romperam temporariamente, com muitos investidores a venderem tudo o que podiam, a almofada de capital do fundo – maior do que o habitual – ofereceu proteção e liquidez e evitou a venda de posições a preços baixos.

2020: resiliência e recuperação

Não era possível prever a pandemia de COVID-19, mas com base nas observações do gestor da carteira do ambiente económico de fim de ciclo, a estratégia entrou em 2020 já com um posicionamento um pouco defensivo – com bastante duração de alta qualidade. Isto foi um bom ponto de partida para lidar com o sell-off nos spreads que ganhou fôlego em fevereiro e março.

Durante um breve período em março, a deslocação nos mercados foi tal que todos os ativos pareciam estar correlacionados com a descida, o que levou o gestor da carteira a utilizar a flexibilidade da estratégia para retirar temporariamente quase toda a duração da carteira. Várias coberturas também ajudaram a mitigar as perdas em março: uma liquidez elevada e a utilização de swaps de risco de incumprimento para a cobertura da parte de high yield da carteira à medida que os spreads se alargavam rapidamente.

Desde abril, o gestor da carteira tem efetuado uma rotação dessas posições defensivas para oportunidades mais atrativas dentro do crédito de alto rendimento, obrigações financeiras subordinadas e mercados emergentes, tirando especial partido da grande onda de novas emissões ao longo deste período de recuperação. Olhando para o que resta de 2020, há muitos motivos para os investidores estarem otimistas no que diz respeito às obrigações. A possibilidade de ventos desfavoráveis que criam maior volatilidade pode beneficiar esta classe de ativos.

Investimento em vários segmentos da curva e ao longo do ciclo

O fundo AXA WF Global Strategic Bonds pretende oferecer aos investidores uma alternativa simples e transparente ao conjunto de estratégias de investimento em obrigações, muito vezes confuso e sem um rumo definido. O fundo permite um investimento em toda a curva de crédito, com uma estrutura própria que consiste em obrigações com três tipos de risco, com uma margem em termos de duração de 0 a 8 anos2. Esta estrutura olha para diferentes ativos dentro do mercado obrigacionista com base na sua sensibilidade relativa às taxas de juro e aos spreads de crédito, em vez de olhar através da lente de um índice baseado na capitalização de mercado, o que dá aos investidores acesso a potenciais fontes de alfa que não encontram em estratégias baseadas em índices de referência3:

  • Defensivas (0-100%)

obrigações governamentais, indexadas à inflação

  • Intermédias (0-60%)

crédito investment grade, governos da periferia

  • Agressivas (0-60%)

high yield, mercados emergentes

A estratégia também permite explorar totalmente a curva de yields para refletir as convicções da equipa de investimento num dado momento. É comum pensar-se que as obrigações governamentais são ativos “sem risco”, mas uma obrigação do Tesouro norte-americano a 30 anos será muito mais sensível às taxas de juro do que uma emissão equivalente no segmento curto da curva. O gestor da carteira utiliza este espetro alargado dentro do universo do fundo para criar uma carteira equilibrada e diversificada, que está exposta a uma ampla gama de diferentes fontes potenciais de alfa.

Outro elemento fundamental é a procura por um desempenho ao longo de todo o ciclo, em alternativa a tentar bater o mercado com apostas agressivas ou técnicas de reequilibro. Esta abordagem pode traduzir-se num atraso em relação ao mercado ou à concorrência à medida que o ciclo passa de uma fase para outra. No entanto, pode ser compensadora numa perspetiva de médio a longo prazo para os investidores que procurem uma estratégia forte no mercado obrigacionista ao longo de todo o ciclo.

Com a previsão de rendimentos baixos num futuro próximo e muita incerteza nos meses que se avizinham, agora pode ser uma boa altura para ponderar acerca das possíveis vantagens oferecidas por uma estratégia sem restrições, como esta.

Riscos de investimento

Risco de crédito: os riscos associados aos emitentes de títulos de dívida no subfundo são o de incumprimento das suas obrigações ou a descida do seu rating de crédito, resultando numa redução do valor patrimonial líquido.
Risco operacional: o risco de que os processos operacionais, incluindo os relacionados com a guarda dos ativos, possa falhar e dar origem a perdas.
Risco de contraparte: risco de falência, insolvência ou falha no pagamento ou entrega por parte de qualquer contraparte do subfundo que resulte num incumprimento em termos de pagamento ou entrega.
Impacto de quaisquer técnicas, como derivados: algumas estratégias de gestão envolvem riscos específicos, como risco de liquidez, risco de crédito, risco de contraparte, risco legal, risco de valorização, risco operacional e riscos relacionados com os ativos subjacentes.

A utilização desse tipo de estratégias pode envolver alavancagem, que pode aumentar o efeito dos movimentos do mercado no subfundo e pode resultar num risco de perdas significativo.

Não é possível assegurar que a estratégia AXA WF Global Strategic Bonds será bem-sucedida. Os investidores podem perder parte ou a totalidade do capital investido. O fundo AXA WF Global Strategic Bonds está sujeito a riscos, incluindo risco de crédito, risco de liquidez, risco operacional e risco de contraparte. A estratégia também está sujeita a derivados e alavancagem, mercados emergentes, títulos globais de investment grade e high yield, ativos titularizados e riscos de dívida garantida.

(1) Fonte: AXA IM. Classe de unidades de participação E (Hedged) EUR, líquido de encargos correntes (176 bps), dividendos reinvestidos. A estratégia foi lançada a 11 de maio de 2012. Os resultados anteriores não são um indicador dos resultados futuros. Nem todas as classes de unidades de participação podem estar registadas ou disponíveis na sua jurisdição. Verifique a disponibilidade das mesmas junto do seu consultor financeiro. 

(2)Estas orientações são internas e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. Consulte todas as orientações de investimento e todos os riscos do fundo no respetivo prospeto.

(3) Fonte: AXA IM. Defensivas/Intermédias/Agressivas no contexto do fundo AXA WF Global Strategic Bonds são termos da AXA IM e descrevem a forma como dividimos o universo de obrigações do fundo no qual é possível investir. As obrigações consideradas Defensivas são as obrigações cujo desempenho é predominantemente orientado pelos movimentos das taxas de juro, como as obrigações governamentais. As obrigações consideradas Intermédias são as obrigações cujo desempenho é orientado tanto pelas taxas de juro como pelo spread de crédito, como as obrigações corporativas de investment grade. As obrigações consideradas Agressivas são as obrigações cujo desempenho é predominantemente orientado pelo spread de crédito. As descrições acima representam apenas a nossa abordagem estratégica e constituem orientações internas que não são sinónimo dos objetivos de investimento estabelecidos no prospeto. Consulte todas as orientações de investimento e todos os riscos do fundo no respetivo prospeto.

O sub-fundo AXA WF Global Strategic Bonds é um compartimento da AXA WORLD FUNDS, uma SICAV harmonizada e domiciliada no 49, avenue J.F Kennedy L-1885 Luxembourg. O depositário é a State Street Bank International GmbH, Luxembourg Branch e a sua sociedade gestora é a AXA Funds Management. O presente documento tem fins meramente informativos, não devendo ser interpretado como uma recomendação de investimento. A aquisição das ações deverá ser efetuada de acordo com o Prospeto. Para obter mais informações, em idioma traduzido ou original, conforme aplicável, consulte as Informações Fundamentais destinadas aos Investidores, o Prospeto e os Relatórios Anual e Semestral, que podem ser obtidos gratuitamente junto da sociedade gestora através da internet ( www.axa-im.com ) ou junto das entidades comercializadoras locais autorizadas. Os investidores devem ter em conta que um investimento no Fundo implica riscos que se encontram descritos no Prospeto e nas Informações Fundamentais destinadas aos Investidores. A rentabilidade apresentada corresponde à classe de acções E(Hedged) EUR, dados expressos no valor patrimonial líquido, recebimentos líquidos reinvestidos. As rentabilidades divulgadas representam dados passados, não constituindo garantia de rentabilidade futura. O nível de risco da referida classe de acções é 3. Publicado na data de Outubro de 2020, pela AXA Investment Managers GS Limited, autorizada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a atuar em Portugal em regime de livre prestação de serviços, e com Sucursal em Espanha, autorizada e registada na Comissão Nacional do Mercado de Valores Mobiliários (CNMV) com o número 19.