Mais de 200 fundos de investimento foram nomeados na votação dos fundos destacados 2021 pelos selecionadores portugueses. Pouco mais de um quarto dos fundos mais votados agregam metade dos votos e a concentração é ainda maior por entidade gestora.

Participaram neste estudo

“Fundos de investimento que se destacam pelas suas características únicas, gestão excecional ou abordagem de investimento, mesmo que não sejam objeto de investimento ou parte de alguma shortlist”. Esta é então a definição daquelas estratégias que, pelo sétimo ano consecutivo, os profissionais de seleção de fundos elegem como fundos de investimento destacados, em resposta ao pedido da FundsPeople. Deste modo, 38 selecionadores de 33 entidades contribuíram com a sua opinião. Os dados agregados mostram aqueles fundos de investimento que pelas razões descritas se destacam dos demais entre uma oferta de milhares de estratégias de investimento distintas disponíveis no nosso país. 

O resultado? São então Fundos de investimento nomeados: 224. Total de votos: 325. 

Um dado curioso que sobressai à partida, na análise dos números, é que metade dos votos se concentram nas 61 estratégias mais votadas (27% do universo; 38% em 2020). Mais curioso ainda, a mesma quantidade de votos, concentra-se nas 14 entidades que lideram a tabela por número de votos (16% do universo). Um sinal da hegemonia de algumas gestoras e fundos no que a esta seleção diz respeito.

A liderança

A estratégia de investimento que lidera a tabela, este ano, não difere de 2020, e por pouco, de 2019: Jupiter Dynamic Bond. O fundo de obrigações da Jupiter AM encontra-se regularmente no pódio desta votação e lidera pelo segundo ano consecutivo. Segue-se o Allianz Europe Equity Growth, um fundo da Allianz Global Investors que traz as ações europeias para o topo da tabela dos fundos mais votados. A fechar o trio da liderança, o Ruffer Total Return International, da Ruffer. Um fundo que no ano passado agregava apenas três votos e que este ano acumulou sete. Destaque além disso para o primeiro fundo de gestão portuguesa no ranking, que aliás incorpora o Top 10. É o NB Euro Bond, o fundo luxemburguês da GNB Gestão de Ativos, gerido por Vasco Teles. 

Fundos destacados pelos selecionadores portugueses
Fonte: FundsPeople

Os 11 fundos mais votados, ou seja, os com quatro ou mais votos mostram uma clara tendência para a classe de ativos de equity. São sete fundos long-only de equity, um fundo de alocação, dois fundos de obrigações e um long-short de ações. Curiosamente, três dos sete fundos de ações são focados no universo de ativos europeu e um deles é um fundo temático com atuação no tema das alterações climáticas. 

Fundos destacados pelos selecionadores portugueses
Fonte: FundsPeople

Em termos globais vemos que foram as ações que mais cresceram em termos de número de fundos votados – de 51% para 59% –  em detrimento dos alternativos – de 10% para 5% – e em menor amplitude, das obrigações – de 25% para 21%. 

Grafico 1

Os fundos mais votados por categoria foram o Ruffer Total Return International em alocação, o Allianz Europe Equity Growth em ações e o Jupiter Dynamic Bond em obrigações. 

Fundos com mais votos em cada categoria
Fonte: FundsPeople e Morningstar

Em alternativos, por outro lado, os líderes acumulam todos dois votos e são, nomeadamente, o BPI Alternative Iberian Equities Long Short Fund, o JPM Global Macro Opportunities e o Schroder GAIA II Specialist Private Equity, da BPI Gestão de Ativos, J.P. Morgan AM e Schroders, respetivamente.

As entidades gestoras

Como referido , 14 das 87 entidades com fundos nomeados agregam metade dos votos. A liderança destacada vai para a entidade gestora que alberga o fundo líder, a Jupiter AM, com 20 votos. Seguem-se então a Allianz Global Investors e a Fidelity International, ex-aequo, com 17 votos, a Pictet AM com 14 e a Schroders com 13. 

Entidades gestoras por número de fundos
Fonte: FundsPeople e Morningstar

Contudo, por número de fundos destacados o panorama muda um pouco. A Fidelity passa a liderar, com 14 fundos nomeados, seguida da Pictet AM com 11, Allianz GI e Schroders com 10 e a BlackRock e J.P.Morgan AM com nove. 

Entidades gestoras por número de votos
Fonte: FundsPeople e Morningstar

Por outro lado, por categoria global de fundos, é a Ruffer que lidera em fundos de alocação, a Schroders em Alternativos, a Allianz Global Investors em ações e a Jupiter AM em Obrigações. 

entidades gestoras com mais votos
Fonte: FundsPeople e Morningstar