Assim ficará o negócio da gestão de ativos após a fusão da UBS AM e Credit Suisse AM

Suiça
Créditos: Unsplash

O banco UBS fechou formalmente a compra do Credit Suisse, mas este é apenas o primeiro passo no processo de integração de dois grandes agentes do setor financeiro. Não estamos a falar apenas do desafio do negócio de banca privada, mas também da consolidação dos dois negócios de gestão de ativos. Embora, numa primeira fase, tenham de operar separadamente, o objetivo a curto e médio prazo é combinar as duas gestoras de ativos, reconhece o próprio UBS num comunicado.

De acordo com os cálculos do UBS, a nova sociedade gestora resultante da fusão irá gerir 1,6 biliões de dólares em ativos. Este valor colocá-la-á entre as 15 principais gestoras de ativos do mundo, de acordo com a última classificação publicada pelo Thinking Ahead Institute da WTW, e em terceiro lugar na Europa.

Em termos de oferta de produtos, a aquisição da Credit Suisse AM reforça a UBS AM em áreas estratégicas. Por exemplo, coloca-a entre os líderes europeus em produtos indexados. "Com capacidades de liderança em soluções personalizadas e centradas na sustentabilidade", referem no comunicado. Isto será complementado pela sua oferta de gestão ativa, onde a gestora destaca a sua gama de ações temáticas.

Nos alternativos, contarão com produtos em real estate, hedge funds e commodities. Para além disso, será a entidade de referência em CLO (collateralised loan obligation).

Continuarão também a centrar-se na sustentabilidade, com uma oferta alargada. "A nossa maior base de ativos proporcionará um assento mais influente à mesa para as nossas atividades de gestão e envolvimento", insiste o UBS.

Do lado da distribuição, estão a reforçar a sua posição como principal gestor de ativos na Suíça e a ganhar uma presença mais forte nos EUA e na APAC, com uma presença alargada na China, incluindo a joint-venture do Credit Suisse com o ICBC.

Um desafio pela frente

O UBS reconhece que a combinação das atividades lhe deixa um desafio significativo pela frente. Um processo que pode levar meses. No entanto, já decidiram a estrutura organizacional, a combinação de atividades e as estratégias de investimento que a entidade combinada irá gerir no futuro.

Anunciaram a nova equipa responsável pela gestão do negócio de Asset Management, que responderá perante Suni Harford. As nomeações incluem Michael J. Rongetti, Diretor Executivo do Credit Suisse Asset Management, e Barry Gill, Diretor de Investimentos.