Descobrir o Eurizon Fund - Equity Pacific Ex-Japan LTE: a força do Limited Tracking Error da Eurizon aplicado à Ásia

Antonio Sbocchi
Antonio Sbocchi. Créditos: Cedida (Eurizon)

A gestora italiana Eurizon conseguiu um lugar no mercado ibérico com a sua gama de fundos Limited Tracking Error (LTE), concebidos para capturar a rentabilidade do índice e acrescentar um plus adicional sem assumir mais risco. Esta linha de fundos investe de forma semelhante ao índice de referência, com um limite de tracking error (ou tracking error volatility) de 1,5%, tentando, ao mesmo tempo, melhorar os seus retornos. 

Utilizando uma análise de valorização do mercado, uma análise de tendências setoriais, bem como modelos estatísticos de variáveis económicas e microeconómicas, o gestor de investimentos sobrepondera ou subpondera determinadas ações, com o objetivo de manter a rentabilidade num intervalo definido relativamente ao índice (abordagem de tracking error limitado) e a exposição ao risco dentro de limites predefinidos. Deste modo, a exposição do fundo a ações e, por conseguinte, a sua rentabilidade podem ser muito semelhantes às do índice de referência. Além disso, aplicam uma camada ESG ao processo de investimento. 

O que esperar do Eurizon Fund - Equity Pacific Ex-Japan LTE

É o caso do Eurizon Fund - Equity Pacific Ex-Japan LTE, centrado principalmente em ações emitidas por empresas de média e grande capitalização da região do Pacífico ex-Japão, embora possa investir parcialmente na China. Na opinião de Antonio Sbocchi, responsável de Equity Pacific & Emerging da Eurizon Capital, o fundo distingue-se dos seus homólogos em três aspetos:

  • Exposição à Ásia-Pacífica excluindo o Japão: “Esta região está repleta de interessantes oportunidades de crescimento”, afirma Antonio Sbocchi. O que os distingue é que gerem esta exposição com uma volatilidade anual que está em linha com a classe de ativos de ações mais ampla e um risco ativo contido, medido pelo Tracking Error Volatility (TEV), de cerca de 0,50% (o limite máximo é 1,5%). Isto significa que os investidores podem beneficiar do potencial deste segmento de mercado de elevado crescimento com um risco reduzido em comparação com opções mais voláteis. 
  • Baixo rácio de despesas: um dos principais fatores diferenciadores deste fundo é o seu rácio de despesas excecionalmente baixo, de apenas 0,31% por ano.
  • Elevada classificação de sustentabilidade, especialmente significativo dado a forte inclinação do mercado subjacente para setores intensivas em recursos como o petróleo, a mineração e a indústria.

Fatores-chave da consistência do Eurizon Fund - Equity Pacific Ex-Japan LTE

O Eurizon Fund - Equity Pacific Ex-Japan LTE tem Rating FundsPeople 2023 devido à consistência dos seus resultados ajustados ao risco a longo prazo. O processo de investimento integra três camadas de apostas que são combinadas na alocação final:

  1. Inclinar dinamicamente a carteira para fatores de risco academicamente reconhecidos (por exemplo, valor, dividendos, grandes/pequenas capitalizações, etc.) que tenham demonstrado rendimentos superiores aos do mercado, tendo em conta o ciclo económico, o contexto macroeconómico e as expetativas do mercado a curto e médio prazo. 
  2. Posições longas/curtas nos quatro países do universo de investimento: Austrália, Hong Kong, Nova Zelândia e Singapura. Estas posições podem estar alinhadas com as apostas do primeiro nível ou refletir pontos de vista geográficos únicos baseados em oportunidades atrativas. 
  3. Os setores económicos classificados no GICS, seguindo uma lógica semelhante à do segundo nível.

A carteira modelo final é cuidadosamente analisada para excluir ações que não se ajustam às diretrizes ESG internas da Eurizon e a carteira é otimizada para melhorar a exposição à pontuação ESG do fundo em relação ao índice de referência. 

Como resultado desta gestão, no seu período mais recente, o máximo drawdown foi de 32%, coincidindo com a correção generalizada durante o início da pandemia em 2020. O fundo recuperou totalmente em menos de um ano, no final de janeiro de 2021. 

Outro ponto importante é que o retorno gerado pelo fundo cobriu efetivamente as suas despesas de negociação, estabelecendo-o como uma alternativa convincente face aos ETF.

Atualização da carteira: dois cenários principais

Segundo Antonio Sbocchi, as suas perspetivas atuais de mercado são cautelosas, uma vez que esperam o desenrolar dos efeitos das mudanças vertiginosas nas políticas fiscais e financeiras que começaram no outono de 2022. Em concreto, estão interessados em observar se estas políticas irão afetar - e em que medida - a despesa dos consumidores, o equilíbrio entre a oferta e a procura e, em consequência, as perspetivas de lucros das empresas, bem como o crescimento económico global.  

À medida que nos aproximamos da última parte de 2023, Antonio Sbocchi e a sua equipa estão a considerar seriamente dois cenários principais. Em primeiro lugar, existe a possibilidade de alguns dos sinais de recessão que começamos a observar no início deste ano se agravarem, afetando significativamente a sua área de investimento, que é particularmente sensível aos ciclos económicos mundiais. Por outro lado, existe o denominado cenário de aterragem suave, que sugere que o pior já passou e que nos próximos meses assistiremos a uma recuperação gradual, mas constante, dos mínimos do ano passado, podendo atingir novos máximos no final de 2023. 

Tendo isto em conta, a sua estratégia atual inclina-se para um posicionamento conservador de final de ciclo, dando ênfase ao fator qualidade. Além disso, mantêm uma cautelosa posição curta no mercado de Hong Kong para beneficiar do seu decrescente rendimento, gerindo simultaneamente a exposição à sua extrema volatilidade.

De um modo geral, estão, por enquanto, relativamente contidos, à espera de uma maior clareza antes de considerarem uma abordagem mais assertiva através do aumento do nível de risco ativo, insistindo na atual visão. “Continuamos abertos a um rápido ajuste da nossa estratégia, incluindo uma possível mudança para fatores como a pequena capitalização, que começaram a apresentar valorizações intrigantes nos últimos meses”, afirma Antonio Sbocchi.