Fundos de ações e do mercado monetários veem crescer o número de participantes em 2022

perfilados multiativos fundos
Créditos: Markus Spiske (Unsplash)

O recém-divulgado Relatório Sobre o Mercado de Valores Mobiliários de 2022 divulgado pela CMVM mostra a evolução histórica do número de participantes em fundos de investimento mobiliário (OICVM e FIAM). Fica patente uma tendência global de crescimento, não obstante a queda de 2022. Fica também patente, como o regulador releva, o perfil de retalho do investidor tipo nos fundos portugueses, sendo que o número de investidores não profissionais representava 98% do total de participantes e 92% do valor gerido.

O número de participantes era de aproximadamente 1,2 milhões no final do ano passado, traduzindo um decréscimo de 17 mil participantes face a 2021. De notar que é considerado um participante por cada fundo investido, o que faz com que um investidor que tenha, por exemplo, 10 fundos em carteira represente 10 participantes nesta estatística.

Apesar desta queda, segundo indica a CMVM, foram os fundos flexíveis e os outros fundos (fundos multiativos, essencialmente) as únicas tipologias a denotar redução do número de participantes. Os fundos de ações e do mercado monetário, por seu lado, conheceram os maiores crescimentos do número de participantes (cerca de 6% em ambos os casos), segundo o regulador.

Os fundos PPR eram que detinham o maior número de participantes no fecho do ano, seguidos pelos outros fundos e pelos fundos de ações. O valor médio investido por participante diminuiu 12,5%, para 14,3 mil euros no final de 2022 e foi mais acentuado nos fundos de poupança reforma (-17,5%). Apenas os fundos de obrigações e dos fundos do mercado monetário não sofreram uma queda do valor médio investido por participante.

Número de participantes em fundos de investimento