Francisco Magalhães Carneiro (LFO): "Em 2021 vou olhar com atenção para sinais de que a inflação está a querer fazer uma aparição fugaz ou duradoura"

Francisco Carneiro_LFO
Foto de Vitor Duarte

(Artigo de Francisco Magalhães Carneiro, managing partner do LFO)

"Prediction is very difficult, especially if it's about the future." - Nils Bohr, Nobel laureate in Physics

Qual teria sido o melhor trade dos últimos 20 anos? Apostar na desinflação e na queda das taxas de juro. Como se pode ver no gráfico de 700 anos do Banco de Inglaterra os juros vêm a cair há 700 anos e agora estamos no mínimo de sempre. Houve um pico nos anos 70 e quando há guerras, mas a tendência é para baixo.

No segundo gráfico sobre as taxas em Portugal vemos que um país com alguns problemas de excesso de Dívida Pública  (130% sobre PIB) existem investidores que estão dispostos a emprestar dinheiro ao Estado Português sem nenhuma compensação, sem juro. Nada. Zero!

No maravilhoso livro SAPIENS, o autor  Yuval Noah Harari diz entre muitas outras coisas que o mundo só andou para a frente quando começou a haver comércio. O comércio permite a especialização e a especialização permite fazer mais fazer melhor e fazer mais barato. Quando os homens viviam da terra e tratavam do poço, da quinta, dos animais do moinho eram pobres. Quando as pessoas começaram a só fazer uma coisa, havia um ferreiro, um carpinteiro, etc... a inflação começou a cair. Este movimento nunca mais parou, o comércio mundial é cada vez maior e cada vez mais países estão no mercado Global.

O que eu vou fazer em 2021? Vou olhar com atenção para sinais de que a inflação está a querer fazer uma aparição fugaz ou até duradoura.

Se não houver inflação, se não houver uma aceleração forte do crescimento a receita é comprar o que cresce (Tech, Pharma etc...) e claro tudo o que tenha um rendimento certo. Quando não há crescimento paga-se muito pelo que cresce.

No caso da inflação fazer a sua aparição, no caso do mundo voltar a acelerar, os mercados emergentes mais ligados a commodities podem ser a aposta certa.

Eu tenho uma regra nos mercados que é  Never Jump the Gun ou seja esperar que o mercado me diga o que é para fazer. Até agora o mercado não está a dizer que a inflação vai aparecer.

Em Portugal há um ditado muito bom que diz, Não há fome que não dê em fartura. Nos últimos anos tem sido sempre para o mesmo lado, pouca inflação, pouco crescimento, excesso de oferta em tudo, preços a descer.

Vamos ver se se o ditado português se aplica em 2021.