Os resultados financeiros da Fundação da Casa de Bragança em 2022

fundacao casa de braganca
Créditos: Website Fundação da Casa de Bragança

Pode dizer-se que a criação da Fundação da Casa de Bragança foi uma das últimas vontades do Rei D. Manuel II. Segundo o que se pode ler no website da instituição, a Fundação foi criada em 1933, um ano depois da morte do Rei, e com um objetivo específico. "O último Rei de Portugal quis preservar intactas as suas colecções e todo o património da Casa de Bragança, pelo que deixou ainda outros elementos para precisar o seu intuito inicial e legar todos os bens sob a forma do Museu da Casa de Bragança, “à minha Pátria bem amada”", referem online.

Em termos financeiros, e segundo o último relatório e contas da Fundação, referente a 2022, o ativo da instituição ascendia a 152,6 milhões de euros, o que representou uma quebra de 4.789,2 milhares de euros face ao ano de 2021, conta a entidade. A perda do valor dos investimentos em regime de gestão discricionária, adianta a Fundação, foi o motivo desta redução, juntamente com "o valor dos gastos de depreciação e amortizações".

Fonte: Relatório e Contas Fundação da Casa de Bragança, 2022

Gestão discricionária desvalorizou 12%

O malogrado 2022, sem surpresas, foi o responsável pelos maus resultados imputados aos investimentos financeiros. A instituição escreve que "na área financeira, 2022 terminou como um dos piores anos dos mercados nas últimas décadas". Detalham que "divergindo do que normalmente sucede, verificou-se, de resto, em 2022, uma correlação positiva entre as duas principais classes de ativos financeiros, uma vez que a desvalorização ocorrida atingiu quer as ações, quer as obrigações, não permitindo, assim, beneficiar do efeito diversificação e rebalanceamento das carteiras".

A gestão discricionária da Fundação, que agregava em 2021 um total de 36,5 milhões de euros, caiu para 31,8 milhões um ano depois. A entidade justifica no documento que existiu uma "desvalorização média líquida dos ativos financeiros detidos no âmbito da gestão discricionária de, cerca de 12%, praticamente erodindo os resultados excecionais alcançados no ano anterior".

Em compensação, a entidade conseguiu alguma compensação do lado de um fundo de "tipo private equity real estate", que, contam, "originou já em 2022 o pagamento da primeira tranche de juros de 7% no valor de 175 mil euros".