As perguntas mais frequentes sobre o Rating FundsPeople

Rating FundsPeople, As perguntas mais frequentes sobre o Rating FundsPeople

1. O que é o Rating FundsPeople? 

Uma classificação atribuída a um fundo se atender a pelo menos um dos três critérios: ser eleito como destacado pelos analistas, ser blockbuster ou consistente. 

2. O que é a classificação FundsPeople+? 

Uma classificação atribuída a um fundo quando atende a todos os três critérios: ser eleito como destacado pelos analistas, ser blockbuster ou consistente. 

3. Como posso consultar a metodologia utilizada?

Pode consultar no nosso website ou em todas as revistas. 

4. Qual a fonte dos dados? 

Os dados que suportam a seleção dos fundos destacados e blockbuster internacionais são recolhidos pela FundsPeople; para blockbusters nacionais e fundos consistentes a fonte é a Morningstar. 

5. Porque é que o meu fundo pode ter um rating num país, mas não noutros? 

Consideramos o universo de fundos registados para venda em cada país em cada caso, mas usamos de forma diferente: 

• O critério de favoritos dos analistas é único para todos os países, é mostrado se o fundo estiver registado num mercado. 

• O critério blockbuster ibérico para fundos internacionais é resultado da consulta direta aos responsáveis pelas gestoras internacionais. 

• O critério de consistência é uma análise puramente quantitativa dos dados de desempenho e risco fornecidos pela Morningstar. Os fundos são comparados com os seus pares registados em cada país, portanto, as bases de comparação dependem da oferta em cada mercado. 

6. Quando são revistos os critérios que conferem o rating?

A revisão é realizada anualmente em janeiro com dados de 31 de dezembro. 

7. O rating pode ser atualizado caso o fundo tenha sido fundido ou incorporado noutro? 

Não, não é possível. 

8. Como posso atingir um dos três critérios que concedem o rating FundsPeople? 

Para ser um favorito, precisa de pelo menos cinco votos de analistas de fundos; o critério de blockbuster é alcançado com base no volume distribuído (e entradas líquidas para o fundo em produtos locais); e para ser consistente, um fundo deve destacar-se numa determinada relação risco retorno de acordo com a nossa metodologia. 

9. Qual a classe que é utilizada para a análise dos consistentes? 

O critério de partida utilizado é selecionar a classe de fundo mais antiga registada em cada mercado. É assim que o definimos no Morningstar Direct (Set User Preferences/ User Defined Primary Criteria), que estabelece uma ordem de prioridade de nove critérios, sendo o primeiro a Performance Start Date: Oldest. Esta classe pode não corresponder à Oldest Class na Morningstar, se a mesma não estiver registada no país. Os seguintes critérios de escolha são a classe em euros, de acumulação, investimento institucional e menor custo de comissões de gestão. A análise de risco-retorno é feita ao nível da classe do fundo, mas é o fundo que obtém o Rating FundsPeople. 

10. É possível alterar a classe do fundo? 

Em princípio não é possível. Se solicitado pela entidade gestora, terá que ser analisado caso a caso. 

11. Porque é que o meu fundo não está listado como consistente mesmo estando no primeiro quartil de retorno de acordo com diferentes provedores? 

Na nossa metodologia não utilizamos apenas dados de rentabilidade. A volatilidade tem um peso significativo (35%), portanto, se o fundo for mais volátil que a média da sua categoria, pode não ser selecionado de acordo com o nosso sistema de cálculo. Além disso, escolhemos os fundos do primeiro quintil e utilizamos um scorecard para períodos acumulados e outro para anos individuais. Cada sistema de classificação tem uma metodologia diferente e não tem os mesmos resultados que outros provedores. 

13. Porque é que o meu fundo, embora tenha ativos de mais de 100 milhões de euros distribuídos na Península Ibérica, não está na lista de blockbusters? 

Por um lado, consideramos o universo de fundos registados para venda em cada país. Por outro, no caso dos fundos internacionais, o reconhecimento de blockbuster é resultado da consulta direta aos responsáveis pelas gestoras internacionais sobre os fundos cujo volume ultrapassa determinado volume. Se não obtivermos uma resposta, não poderemos incluí-los.