Fundos imobiliários abertos crescem 277 milhões de euros em 2020

Imobiliário, Fundos imobiliários abertos crescem 277 milhões de euros em 2020

Os números de dezembro de 2020 divulgados pela CMVM mostram que o valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário (FII), dos fundos especiais de investimento imobiliário (FEII) e dos fundos de gestão de património imobiliário (FUNGEPI) atingiu um total de 10.583,6 milhões de euros, mais 159,0 milhões (1,52%) do que em novembro. Este valor compara com os 10.511,3 milhões de euros de dezembro de 2019, o que se configura numa quebra de cerca de 72 milhões de euros durante o exercício de 2019. 

Imobiliário, Fundos imobiliários abertos crescem 277 milhões de euros em 2020

O montante investido nos fundos de investimento imobiliário subiu no mês 0,7% para 7.752,5 milhões de euros, enquanto nos FEII, aumentou 1,1% para 2.409,1 milhões de euros e nos FUNGEPI cresceu 24,0% para 422,0 milhões de euros. 

Imobiliário, Fundos imobiliários abertos crescem 277 milhões de euros em 2020

O agregado dos fundos abertos imobiliários portugueses cresceu 277 milhões de euros no ano para os 4.171,1 milhões de euros, enquanto os fundos fechados seguiram o caminho contrário, perdendo 204 milhões de euros do seu valor sob gestão, para os 6.412,5 milhões de euros. 

Entidades gestoras

A Interfundos (12,5%), a Square AM (11,3%) e a Caixa Gestão de Ativos (9,2%) detinham as quotas de mercado mais elevadas no fecho do ano, enquanto no final do ano de 2019, era a Norfin que ocupava o terceiro lugar do ranking, com 9,6% de quota de mercado.

Imobiliário, Fundos imobiliários abertos crescem 277 milhões de euros em 2020

Atividade em dezembro

Em dezembro foram constituídas as sociedades especiais de investimento imobiliário Substância Numérica – SICAFI e Coincident Discovery, SICAFI, geridas pela Lynx, e a Almost Future, SICAFI gerida pela Silvip. Foi ainda liquidado o fundo de investimento imobiliário Solid, gerido pela GNB Real Estate, e os fundos especiais de investimento imobiliário R Invest, gerido pela GNB Real Estate, Imoreserve, gerido pela First Fund Box, e os Oceânico e Gestão Imobiliária, geridos pela Interfundos.