24,5% dos fundos de investimento europeus já são artigo 8 ou 9

SFDR, 24,5% dos fundos de investimento europeus já são artigo 8 ou 9
Créditos: Cody Waters (Unsplash)

Há apenas oito meses, foi aprovado na Europa um dos regulamentos que mais transformou e continuará a transformar a indústria de gestão de ativos em geral e, em particular, os fundos sustentáveis. Trata-se do SFDR e, desde março, os gestores têm vindo a adaptar a sua gama de fundos à nomenclatura contida no Regulamento (artigos 6.º, 8.º e 9.º), dependendo se o produto de investimento é mais ou menos sustentável.

Na Morningstar, têm avaliado a receção que estes fundos classificados como artigo 8.º ou artigo 9.º - as duas opções mais ESG - tiveram entre os investidores e as conclusões não deixam margem para dúvidas. “No terceiro trimestre de 2021, os fluxos para os fundos do artigo 8.º e do artigo 9.º aceleraram, capturando 56,8% do total dos fluxos do nosso universo de fundos revistos”, afirmam. E nesse universo que reviram, 87% de todos os fundos europeus estão concentrados, uma vez que excluem fundos monetários, fundos de fundos e fundos feeder.

SFDR, 24,5% dos fundos de investimento europeus já são artigo 8 ou 9

O valor concentra-se principalmente em produtos classificados como artigo 8.º (45,1% do total dos fluxos), cuja abordagem de sustentabilidade não é tão forte como a oferecida por produtos classificados como artigo 9.º, que atraíram 11% dos fluxos. Quanto ao tipo de gestão, 78% dos fluxos escolheram produtos de gestão ativa e 21% optaram pela gestão passiva.

SFDR, 24,5% dos fundos de investimento europeus já são artigo 8 ou 9

Um em cada dois fundos será artigo 8º e 9º a curto prazo

Com estes dados, obtidos no final do terceiro trimestre do ano, a Morningstar regista em 24,5% a percentagem de ativos sob gestão de fundos europeus que já se encontra nos produtos do artigo 8.º ou 9.º e estima que este valor continue a aumentar à medida que mais gestoras classificam as suas gamas e lançamentos, para além de novos fundos que também estão classificados no âmbito do SFDR. “A partir dos atuais 37% dos ativos dos fundos da UE, prevemos que os fundos do artigo 8.º e do artigo 9.º possam atingir 50% até meados de 2022 ou mais cedo, uma vez que as gestoras continuam a melhorar as suas estratégias e a lançar novos produtos que satisfaçam os requisitos dos artigos”, explicam. Sem surpresas, estes fundos já têm um valor líquido de 3,32 biliões de euros.

Com efeito, sublinham que quase 50% dos novos fundos lançados no mercado estão incluídos nos artigos 8º ou 9.º, contra 42% no segundo trimestre do ano.  

Os países mais dedicados à causa

O relatório da Morningstar, intitulado SFDR Article 8 and Article 9 Funds Q3 2021 in Review, não é o único que foi divulgado nas últimas semanas para analisar o impacto que o Regulamento SFDR está a ter na indústria. Também na EFAMA publicaram um artigo no qual analisam alguns parâmetros do SFDR, embora com dados ligeiramente mais desatualizados, uma vez que são dados do final do primeiro trimestre.

Para além dos dados de património, destacam quais são os grandes domicílios em que estão registados estes fundos dos artigos 8º ou 9º. “Os principais domicílios dos fundos do artigo 8.º do SFDR são o Luxemburgo (35%), França (16%), Países Baixos (13%), Suécia (13%) e Irlanda (9%). Em conjunto, os ativos líquidos destes cinco domicílios representam 85% do total dos ativos líquidos dos fundos do artigo 8.º do SFDR”.

Além disso, calcula igualmente a percentagem que este tipo de fundos já representa sobre o total dos fundos de um país. E aí é a Suécia que excede em muito o resto, uma vez que 92% dos fundos suecos são os artigos 8º ou 9º, seguidos de 50% da Bélgica.

SFDR, 24,5% dos fundos de investimento europeus já são artigo 8 ou 9

Muito mais baixa é a percentagem do total de produtos classificados como artigo 9º. Aí, o país onde há mais representação é a Bélgica, com 4% do total dos fundos belgas, seguida do Luxemburgo, com 3,6%.