A guerra de preços terminou: TER dos ETF estabelece um mínimo

fim - meta- ETF
Créditos: Patrick Perkins (Unsplash)

Houve um período em que era raro o mês em que os fornecedores de ETF não faziam descontos no preço dos seus fundos cotados. Para o selecionador, o rácio de despesas totais (TER) destes produtos tem sido, historicamente, um fator importante na hora de comparar fundos cotados. Isto levou as gestoras a entrar numa frenética corrida para reduzir comissões. No entanto, tudo tem um limite.

No que diz respeito aos ETF de ações, o TER médio dos produtos tem estado plano nos últimos três anos. Segundo dados da Refinitiv, está ancorado nos 0,34%. O mesmo se aplica às obrigações, estando o TER médio fixado nos 0,2%. Nesta tendência estão incluídos os produtos do mercado monetário, com um rácio de despesas totais que, em média, se estabeleceu nos 0,12% nos últimos três anos.

Dentro de categorias menos populares e com gamas mais escassas, como os ETF mistos ou de gestão alternativa, o TER médio dos produtos têm-se mantido estáveis há algum tempo. Nos primeiros, a média está fixada desde há três anos em 0,37%. Relativamente aos segundos, há cinco anos que está fixada em 0,47%. Acontece algo de muito semelhante com os ETC de matérias-primas, cujo TER médio está nos 0,35%.

TER médio dos ETF, por categoria de produto

Fonte: Refinitiv, datos no final de 2022.