Três anos de evolução do investimento em fundos de terceiros pelas gestoras de fundos de pensões

gestoras de fundos de pensões, Três anos de evolução do investimento em fundos de terceiros pelas gestoras de fundos de pensões
Créditos: Ethan Sykes (Unsplash)

À data de 31 de dezembro de 2021, segundo dados da APFIPP, o investimento através de fundos de terceiros representava mais de 50% na estrutura das carteiras dos fundos de pensões de três sociedades gestoras nacionais. De facto, este é um número que se manteve constante desde 2019, significando assim que, no geral, estas entidades têm aumentando, mas apenas ligeiramente a alocação a fundos de investimento estrangeiros. Assim, é o investimento direto que representa a parte mais relevante na maioria das carteiras dos fundos de pensões.

Depois de mostrarmos a alocação das gestoras de fundos de pensões a fundos de terceiros em percentagem e em valores absolutos, chega a vez de observarmos como terá evoluído num período mais alargado (desde 2019 até 2021) o investimento das gestoras de fundos de pensões através de fundos de terceiros.

Efetivamente, no geral, verifica-se um aumento do investimento através de fundos de investimento de terceiros por parte das 10 entidades consideradas na análise. Em 2021, face a 2019, oito destas sociedades aumentaram a preponderância dos produtos nas carteiras dos seus fundos de investimento. As duas únicas exceções corresponderam à BPI Vida e Pensões, cuja percentagem investida manteve-se relativamente estável ao longo deste período, e à entidade SGF, que diminui ligeiramente a alocação, tal como se pode ver pelo gráfico abaixo.

Já se tivermos em conta o último ano e compararmos com 2020, foram apenas seis as sociedades que aumentaram a alocação a fundos estrangeiros. Ainda assim, em média, verifica-se um aumento de investimento nestes produtos com mais expressão de 2020 para 2021.

Evolução da percentagem de investimento em fundos de terceiros

gestoras de fundos de pensões, Três anos de evolução do investimento em fundos de terceiros pelas gestoras de fundos de pensões
Fonte: APFIPP, dezembro de 2021. As gestoras de fundos de pensões do Banco de Portugal e Previsão não constam no gráfico porque não apresentavam dados no respetivo relatório. Também a gestora CA Vida não consta, uma vez que apenas apresentava dados para o ano de 2021.

De 2019 para 2020, a entidade que, em percentagem, mais reforçou a alocação a fundos de terceiros foi a Santander Pensões. Enquanto isso, de 2020 para 2021, esse destaque vai para a Ageas Pensões. Já no conjunto dos últimos três anos, por ordem decrescente, as gestoras que, em percentagem, mais aumentaram o investimento através de fundos de terceiros foram a Santander Pensões, BBVA Fundos e Futuro.

Atualmente, o Top 3 da percentagem investida em fundos de terceiros é composto pela Victoria Seguros, SGF e Ageas Pensões.

Percentagens da alocação das carteiras a fundos de terceiros de 2019 a 2021

Sociedade gestora201920202021
Ageas Pensões42.9%38.4%51.4%
BBVA Fundos33.4%40.2%47.6%
BPI Vida e Pensões31.7%30.9%31.1%
CGD Pensões27.0%30.5%28.6%
GNB - SGFP22.3%27.8%26.1%
Futuro33.7%41.0%44.3%
Real Vida Seguros30.8%29.2%35.8%
Santander Pensões31.9%41.8%47.0%
SGF66.7%66.7%66.0%
Victoria Seguros81.5%80.2%84.2%
Fonte: APFIPP, dezembro de 2021. As gestoras de fundos de pensões do Banco de Portugal e Previsão não constam na tabela porque não apresentavam dados no respetivo relatório. Também a gestora CA Vida não consta, uma vez que apenas apresentava dados para o ano de 2021.