Fundo dos Certificados de Reforma fica aquém do benchmark em 2022

descida queda
Créditos: Kaleb Tapp (Unsplash)

A Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social lançou um documento onde explica a evolução do Fundo dos Certificados de Reforma em 2022. Destaca-se a evolução do montante sobre gestão e a alocação dos ativos em carteira. O fundo de gestão pública destina-se a gerir o capital investido em certificados de reforma e visa distribuir retorno para os seus investidores no momento da reforma.

Ativos sob gestão e rentabilidades do FCR em 2022

Fonte: Segurança Social, Folheto Informativo de 31 de dezembro de 2022.

À data de 31 de dezembro de 2022, a carteira contava com cerca de 52 milhões de euros sob gestão. Este valor representa uma queda de aproximadamente 10% face ao ano anterior. Nas informações divulgadas, pode ler-se que "esta queda se deveu à rentabilidade negativa registada no ano, que superou, em larga medida, o efeito positivo das entradas líquidas mensais".

A carteira não ficou indiferente ao ano atípico de 2022 e registou uma rentabilidade negativa de 15,28%, um valor 4,41% inferior ao benchmark utilizado como referência. A diferença de rentabilidade é parcialmente explicada pelo comportamento da "componente de dívida com maturidades mais longas, que integra a carteira do FCR, mas não integra o seu benchmark".

Muito devido ao seu mandato de gestão, a carteira fechou o ano dominada por títulos de dívida governamental. À data de referência, cerca de 78% da carteira está distribuída por dívida de países da OCDE, sendo que 25,48% acabou o ano investida em dívida pública nacional. A componente acionista representava 15,70% da carteira, enquanto os restantes 6,10% estavam parqueados em liquidez.

Entradas e saídas acumuladas no FCR em 2022

Fonte: Segurança Social, Folheto Informativo de 31 de dezembro de 2022.

Apesar dos níveis de rentabilidade do Fundo dos Certificados de Reforma terem ficado aquém do benchmark, os investidores têm canalizado muito dos seus investimentos para este tipo de instrumento.

O interesse por este produto aumentou consistentemente durante todo o ano de 2022. Apesar de todos os meses apresentarem valores acumulados positivos, o valor máximo de fluxos positivos foi atingido no último mês do ano.