Net Zero AM: A iniciativa das gestoras para conseguirem carteiras livres de emissões

As gestoras de ativos tornaram-se uma parte essencial da luta contra as mudanças climáticas. De facto, não há praticamente nenhuma que não tenha, entre a sua oferta de produtos, fundos que sigam critérios ESG quando não optam – como fazem cada vez mais empresas – pela integração total desses critérios nas suas estratégias de investimento.

Agora optaram por dar mais um passo na luta para implementar o investimento sustentável ao lançarem a Net Zero AM, uma iniciativa que procura alcançar uma meta de zero emissões líquidas de carbono em todos os ativos sob gestão entre os seus objetivos para 2050 (ou antes) e que foi lançada coincidindo com o quinto aniversário do Acordo de Paris, celebrado a 12 de dezembro.

Esta iniciativa parte com um total de 30 gestoras que têm a seu cargo um volume de ativos de nove biliões de dólares. Entre essas gestoras estão muitas conhecidas dos investidores ibéricos. São elas: Anaxis Asset Management, Arisaig Partners, Asset Management One, ATLAS Infrastructure Partners, AXA Investment Managers, BMO Global Asset Management, Calvert Research and Management, CCLA Investment Management, Clean Energy Ventures, DWS, FAMA Investimentos, Fidelity International, Generation Investment Management LLP, Gulf International Bank Asset Management, Handelsbanken Fonder AB, IFM Investors, Inherent Group LP, Kempen Capital Management, Legal & General Investment Management, M&G Investments, New Forests Pty Ltc, Nordea Asset Management, Robeco, Sarasin & Partners LLP, Schroders, Swedbank Robur, UBS Asset Management, Wellington Management e WHEB. Espera-se que a lista continue a crescer nos próximos meses.

Algumas partilharam com a imprensa como veem esta iniciativa e o que significa para o seu negócio em particular e para a indústria em termos gerais.

As primeiras impressões

“Na Nordea Asset Management estamos muito satisfeitos por sermos um membro fundador deste importante grupo, que será a contraparte natural da iniciativa da Net Zero Asset Owner, e ajudará a apoiar a indústria da gestão de ativos no seu necessário avanço para o pleno cumprimento das normas de Paris. Os objetivos da NZAM alinham-se plenamente com os objetivos climáticos internos da NAM, e esperamos ver um maior desenvolvimento neste sentido nos próximos anos”, afirma Nils Bolmstrand, CEO da Nordea AM.

Por sua vez, Asoka Wöhrmann, CEO da DWS referiu: “Estamos no princípio da era da sustentabilidade. A luta contra as mudanças climáticas é o imperativo social e económico do nosso tempo. Quem se opuser a ele, perderá. Como gestores de ativos fiduciários, a nossa missão é aplanar o caminho para uma economia livre de carbono”.

E essa necessidade urgente de contribuir para a luta contra as alterações climáticas incidiu também Marco Morelli, presidente executivo da AXA Investment Managers. “A indústria dos serviços financeiros dever estar na vanguarda para impulsionar esta ação coletiva. Como administradores a longo prazo dos investimentos que lhes são confiados, os gestores ativos têm a capacidade de contribuir para o alcance dos objetivos do Acordo de Paris e podem desempenhar um papel fundamental para abordar estes desafios, que sabemos que também são preocupações-chave para os nossos clientes”, afirma.