Nordea AM oficializa abertura de Hub em Portugal

Nordea Portugal, Nordea AM oficializa abertura de Hub em Portugal
Créditos: Louis Paulin (Unsplash)

A Nordea Asset Management celebrou esta quarta-feira a abertura oficial do seu hub em Portugal. A entidade gestora abriu ainda em 2020 este escritório, em Oeiras, que irá servir o mercado de distribuição português e também latino-americano. Num evento celebrado na Estufa Fria, em Lisboa, o CEO global da gestora, Nils Bolmstrand, começou por mencionar que "é um orgulho ter o hub em Portugal". "Tem sido fantástico observar a quantidade de qualidade, talento e educação dos colaboradores em Portugal e acreditamos que este será um local importante da nossa estratégia de ser líder europeu em gestão de ativos", referiu.

Na Europa, o hub português junta-se aos hubs do Luxemburgo e Copenhaga, e atualmente conta com 40 profissionais. Nils Bolmstrand referiu mesmo que o objetivo é chegar em breve aos 100 colaboradores no hub de Portugal. Neste momento a equipa cobre temas de marketing, serviços de produtos e operações, mas não descartam que um dia possa incluir posições de investimento. Quando questionado sobre qual seria o estímulo que levaria a entidade a dar o passo de apostar também nesta componente, o CEO esclareceu desde logo que não se trata de um estímulo, mas "sim de construir o negócio e aprender sobre o mercado e o ambiente". Nas palavras de Nils Bolmstrand, "a Nordea não é uma empresa que faça revoluções, mas sim evoluções".

Neste hub está presente também a equipa de vendas da gestora, que cobre o mercado português e latino-americano. Sobre este ponto, Laura Donzella, diretora de Distribuição a clientes institucionais e de retalho na Península Ibérica, América Latina e Ásia, afirmou que “quando se está no negócio de distribuição ou de vendas é muito importante sermos locais e estarmos próximos dos clientes e do mercado onde trabalhamos”.

Questionada sobre quais foram as razões que levaram a entidade a escolher Portugal como hub, a profissional começou por mencionar que foram várias, mas destacou a mais importante: “O talento que encontrámos em Portugal é extremamente competente, forte e muito diversificado”. No fundo, encontraram em Portugal colaboradores com diversas áreas de expertise, o que encaixou perfeitamente nas necessidades da gestora. Além desses fatores, diz que também encontraram “muitas competências ao nível do inglês, mas também de outras línguas, e este é um fator muito importante quando se trabalha em diferentes mercados”.

ESG em Portugal

Naturalmente, não faltou à conversa o tema do ESG em Portugal. Neste domínio, a profissional indicou que este "é definitivamente um lugar onde a entidade quer estar com as todas as suas capacidades ESG". Adicionalmente, comentou que esta trata-se de uma oportunidade "de estar local e conversar com a comunidade local". Assim, diz a profissional, "estaremos aqui não apenas com uma grande amplitude de soluções em termos de oferta ESG, mas também com uma importante componente educacional deste importante tópico. Vamos ter oportunidade de colaborar com universidades, com a indústria no geral e, portanto, esta será uma oportunidade de deixar a nossa pegada neste tópico".