O padrão repete-se: em períodos de mercados difíceis, entra dinheiro em ETF e sai em gestão ativa

dinheiro_euro
Créditos: Ibrahim Rifath (Unsplash)

Apesar das duras condições de mercado, 2022 marcou o vigésimo terceiro ano consecutivo de entradas no negócio de ETF. Os fundos cotados nunca testemunharam saídas anuais desde a sua criação na Europa em 2000. No entanto, o comportamento negativo dos mercados subjacentes levou, apesar das entradas líquidas, a uma diminuição dos ativos sob gestão (de 1,33 biliões de euros a 31 de dezembro de 2021 para 1,24 biliões no final de dezembro de 2022).

Fonte: Refinitiv Lipper.

São estimativas da Refinitiv, que mostram que a perda de 88.300 milhões, registada pela indústria de ETF europeia no ano passado, é fundamentalmente explicada pelo comportamento negativo dos ativos subjacentes (-168.500 milhões de euros). Em contrapartida, as vendas líquidas estimadas impulsionaram o setor, graças a um volume de captações que rondou os 80.200 milhões, fazendo de 2022 o quinto melhor ano da história para o setor, segundo os cálculos do fornecedor de dados. 

Fonte: Refinitiv Lipper.

Comparação de números

Se se comparar esse número com o que aconteceu com os fundos ativos, a radiografia do sucedido na indústria europeia de ETF é ainda melhor. Em 2022, a gestão ativa sofreu saídas líquidas de 244.300 milhões. Essa tendência de entradas no segmento dos ETF e saídas nos fundos ativos em períodos difíceis de mercado não é um padrão novo. “Vimo-lo noutros períodos difíceis, como a crise financeira ou a crise do euro”, recorda Detlef Glow, diretor de Análise da Refinitiv.

A tendência entre ambas as tipologias de produto é diametralmente oposta. Enquanto os fundos ativos de ações sofreram no ano passado saídas líquidas de 51.000 milhões, os ETF que reproduzem índices de ações experienciaram entradas líquidas de 51.000 milhões. Em obrigações, dos primeiros saíram 106.000 milhões, enquanto que os segundos captaram 31.000 milhões. A indústria europeia de ETF desfrutou de entradas durante 10 meses do ano. Apenas dois meses registaram saídas líquidas de dinheiro.

Fonte: Refinitiv Lipper.