Capital humano, um fator-chave de desempenho

Jessica Poon. Sycome AM
Créditos: Cedida (Sycome AM)

TRIBUNA de Jessica Poon, gestora de portefólios sénior, Ações Globais, Sycomore AM. Comentário patrocinado pela Sycomore AM.

O capital humano sempre foi uma preocupação para a Sycomore AM, tanto como empresa quanto como investidor. Na Sycomore, acreditamos firmemente que uma empresa não é um conceito teórico, é antes de tudo um grupo de pessoas que trabalham juntas para alcançar um objetivo comum; o seu crescimento depende, antes de mais, do bem-estar e da motivação dos seus colaboradores. Por isso, os nossos fundadores, como investidores e empresários, acharam essencial dedicar uma estratégia de investimento a este tema. Em 2015, desenvolvemos um modelo de classificação para analisar como uma empresa gere o seu capital humano e o ambiente de trabalho que oferece aos seus colaboradores, que resultou nos cinco pilares do bem-estar no trabalho:

  • a presença de uma missão empresarial bem definida,  aliada a uma cultura e valores fortes, capazes de incutir um profundo sentido de pertença e objetivos partilhados;
  • autonomia na tomada de decisões;
  • o desenvolvimento de habilidades e oportunidades de carreira;
  • diálogo social, com atenção ao equilíbrio trabalho/vida;
  • equidade como remuneração e diversidade.

Esta metodologia tem sido usada desde então para a estratégia de ações Sycomore Europe [email protected]Work. Ao investir em empresas listadas e para obter informações completas e precisas, reunimo-nos com as equipas de gestão e RH, sondamos a média para possíveis controvérsias e colaboramos com redes de ONGs, sindicatos ou universidades. Por fim, tentamos interagir com ex-funcionários e obter informações do Glassdoor, um website onde os funcionários avaliam anonimamente as empresas. Muitas vezes, a análise mostrou que os funcionários [email protected] têm um desempenho melhor. É uma questão de bom senso: o sucesso de uma empresa constrói-se no trabalho dos seus colaboradores. Se forem bem selecionados, treinados e motivados, os resultados melhorarão, facto confirmado por muitos estudos académicos. Além disso, observamos nos nossos portefólios que as empresas que se destacam na gestão do capital humano no médio e longo prazo apresentam melhor desempenho do que aquelas que não dão muita atenção aos seus colaboradores.

Além disso, e, mais recentemente, vimos que a pandemia da COVID-19 acelerou muitas tendências seculares, incluindo a transformação digital e a adoção de práticas de trabalho flexíveis. Mais importante, também destacou a relevância da nossa estratégia de Investimento em Capital Humano que visa, por um lado, identificar as empresas que se adaptam mais facilmente ao novo normal e, por outro, evitar riscos com o descarte de empresas que não evoluem para reduzir o risco. Durante o confinamento, testemunhamos que os funcionários que trabalhavam para as empresas [email protected] eram mais ágeis e inovadores ao enfrentar vários desafios relacionados com a pandemia. Muitos setores estão a enfrentar problemas de escassez de trabalhadores atualmente. Sem dúvida, as empresas que realmente valorizam o capital humano com práticas rigorosas de saúde e segurança devem ser as que vão atrair e reter talentos.

As empresas [email protected] tendem a enfrentar melhor os desafios mencionados acima devido:

  • à sua forte cultura de capital humano, oportunidades de promoção interna, autonomia conferida aos seus colaboradores, etc.
  • ao facto de geralmente serem mais hábeis em alinhar e motivar os funcionários para realizar missões importantes para a empresa e a sociedade.
  • ao facto de geralmente pagarem salários acima da média do mercado e têm uma oportunidade melhor de compensar as pressões salariais crescentes porque a sua força de trabalho cria produtos e serviços exclusivos e inovadores que comandam um forte poder de fixação de preços.

Por mais incerto que seja o mundo, estamos convictos de que o capital humano acabará por impulsionar o desempenho superior sustentável para as empresas.

Desempenho passado não é indicativo de desempenho futuro. O Fundo não oferece nenhuma garantia de retorno ou desempenho e corre o risco de perda de capital. O desempenho do Fundo pode ser parcialmente explicado pelos indicadores ESG das acções do portefólio, mas estes por si só não determinam o desempenho do Fundo. As opiniões e estimativas fornecidas constituem o nosso julgamento e estão sujeitas a alterações sem aviso, assim como afirmações sobre tendências do mercado financeiro, baseadas nas condições atuais do mercado. Acreditamos que as informações fornecidas nestas linhas são confiáveis, mas não devem ser consideradas exaustivas. Esses dados ou previsões foram calculados ou feitos com base em informações públicas que acreditamos serem confiáveis. No entanto, não verificamos essas informações de forma independente. Chamamos a sua atenção para o fato que qualquer previsão tem as suas próprias limitações e, portanto, nenhum compromisso pode ser assumido pela Sycomore Asset Management quanto à realização dessas previsões. Recomendamos que se informe cuidadosamente antes de tomar uma decisão de investimento. Qualquer investimento no fundo mencionado neste artigo deve ser feito com base no prospecto ou aviso informativo vigente. Esses documentos estão disponíveis mediante solicitação na Sycomore Asset Management.