O peso das tecnológicas na capitalização bolsista do S&P 500

Carlos Bastardo ISEG Imofundos_noticia
Carlos Bastardo. Créditos: Vítor Duarte

Tribuna de Carlos Bastardo.

A propósito de a Apple ter atingido os 3 triliões de USD (3.000.000.000.000 ou 3 milhões de milhões) de capitalização bolsista no início de 2022, estive a analisar este indicador para as empresas da moda e fazer algumas análises comparativas.

Ao considerar apenas seis empresas: a Apple, a Tesla, a Amazon, a Alfabet (Google), a Meta (Facebook) e a Microsoft e considerando que a capitalização bolsista no início de janeiro do índice S&P 500 era de 42,4 triliões (americanos) de USD, estas seis empresas de um universo de 500 que compõe o índice bolsista, representavam 26,2% dessa capitalização.

Os quatro maiores bancos americanos, JP Morgan, Bank of America, Citigroup e Goldman Sachs representavam globalmente 8,5% da capitalização bolsista do índice S&P 500 na mesma altura.

O banco com maior valor de capitalização bolsista no início de janeiro era o JP Morgan com 493 biliões (americanos) de USD.

Outra análise que resolvi fazer foi comparar a capitalização bolsista do início de janeiro destas 10 empresas com as suas receitas.

A maior relação respeita à Tesla, em que a capitalização bolsista representava 24 vezes as suas receitas (início de janeiro). Seguia-se a Microsoft (14 vezes), a Meta (8,3 vezes), a Apple (8,1 vezes) e a Alfabet (8 vezes).

A capitalização bolsista da Tesla é de facto muito elevada face às receitas atuais. Será que incorpora demasiadas expetativas de vendas e lucros, tendo em conta que os restantes fabricantes de automóveis estão cada vez mais a apostar na produção de veículos elétricos? Só o futuro o dirá!

Quanto aos bancos, a capitalização bolsista do JP Morgan era de 8,6 vezes as receitas, seguindo-se o Bank of America (8,4 vezes), o Citigroup (2,5 vezes) e o Goldman Sachs (2,1 vezes).

É impressionante a diferença da capitalização bolsista entre as principais empresas americanas e europeias.

Só para se ter uma ideia de grandeza, as seis empresas tecnológicas mencionadas anteriormente, representavam no início de janeiro 26,2% da capitalização bolsista do índice S&P 500.

E o somatório da capitalização dessas seis empresas tecnológicas americanas representava no início de janeiro 73,4% do PIB da União Europeia, quase três vezes o PIB da Alemanha, 4,3 vezes o PIB de França, quase seis vezes o PIB de Itália, quase nove vezes o PIB de Espanha e 49 vezes o PIB de Portugal.

Logicamente que no dia 24 de janeiro e após a queda dos mercados verificados, os pesos poderão estar ligeiramente alterados face aos do início de janeiro, mas de facto quando falamos destas tecnológicas, estamos noutra dimensão!...