Uma multi-estratégia para uma nova era

Mauro Ratto. Generali Investments
Mauro Ratto. Créditos: Cedida (Generali Investments).

TRIBUNA de Mauro Ratto, gestor e CIO, Plenisfer Investments (parte da Generali Investments). Comentário patrocinado pela Plenisfer Investments (parte da Generali Investments).

Lançámos a Plenisfer Investments SICAV Destination Value Total Return em maio de 2020 porque acreditamos que o contexto que os investidores vão enfrentar nas próximas duas décadas será profundamente diferente do dos últimos 20 anos.  Nesse período, os investidores beneficiaram da deflação, da abundância de liquidez e de políticas monetárias acomodatícias, bem como a disponibilidade de mão de obra, matérias-primas e energia baratas. Os investidores enfrentam agora uma inflação mais elevada, uma liquidez mais ajustada e uma escassez de mão de obra e matérias-primas. Fatores de risco: A categoria e o perfil de Risk and Reward é 6, o que significa alta e muito alta volatilidade. O indicador não tem suficientemente em conta o risco de contraparte, o risco de crédito, o risco de derivados, o risco de liquidez, o risco geopolítico, o risco operacional e o risco de depósito. Ao utilizar derivados, a utilização de alavancagem pode aumentar o risco potencial de perda ou retorno potencial. Os investidores podem correr o risco de perder parte ou a totalidade do seu investimento inicial.

The new active

Na nossa opinião, esta mudança requer uma abordagem de investimento inteiramente nova para obter uma rentabilidade multiativos. Por isso, não alocamos por classes de ativos, mas por cinco estratégias complementares. Estas estratégias são:

  • Income: obrigações e dividendos para alcançar um cash flow estável.
  • Compounders: valores de qualidade para a revalorização do capital.
  • Macro: para obter rentabilidades totais.
  • Special Situations: oportunidades idiossincráticas entre ações e obrigações. Também prestamos muita atenção aos tail risks e cobrimo-los cuidadosamente.

Uma rentabilidade consistente e não correlacionada

Temos o prazer de dizer que, desde a sua criação1, esta abordagem beneficiou de rentabilidade ao mesmo tempo que resistiu a períodos de elevada volatilidade. Neste período imprevisível, os ativos alternativos e os eventos corporativos são fundamentais para gerar uma rentabilidade não correlacionada na carteira. Nos ativos alternativos, a exposição do fundo ao ouro deverá continuar a ter um bom desempenho, dado o aumento da inflação e a fuga para ativos de refúgio, enquanto os certificados de carbono também vão oferecer uma sólida rentabilidade, embora estejamos a vigiá-los, dado os impactos energéticos decorrentes da guerra entre a Rússia e a Ucrânia2.

Quanto à estratégia macroeconómica, entrámos em 2022 com um parecer contrário ao consenso sobre a inflação. Não a considerávamos transitória, acreditávamos que seria mais resiliente do que o pensamento do mercado. Isto levou-nos a ter uma duração líquida negativa na carteira, o que ajudou à rentabilidade este ano. Implementámos também operações de valor relativo: posições longas no setor financeiro europeu e posições curtas no índice europeu. Realizámos mais-valias antes de o mercado começar a avaliar o risco de estagflação devido à crise entre a Rússia e a Ucrânia. 

A transição global

Na estratégia de Compounders uma ideia-chave para o fundo é aquilo a que chamamos de transição global, que engloba uma ampla mudança socioeconómica mundial. Engloba não só a transição energética, mas também a procura de eficiência dentro das empresas que estão a impulsionar a digitalização e a cloudification, por exemplo. Alguns destes impulsos à digitalização estão atrasados nos mercados emergentes, que é onde estamos a encontrar oportunidades para as próximas histórias de crescimento.    

Acreditamos que a transição energética é mais complexa do que as renováveis versus petróleo. Selecionámos empresas petrolíferas, por exemplo, que estão a utilizar os preços mais elevados para desenvolver os seus investimentos em fontes de energia renováveis. O hidrogénio está a tornar-se cada vez mais importante do ponto de vista geopolítico. A Arábia Saudita, por exemplo, está a desenvolver uma fábrica de 5 mil milhões de dólares e pretende tornar-se um produtor de hidrogénio totalmente verde. A platina, que mantemos no fundo, é um dos catalisadores em que se baseia a tecnologia das pilhas de combustível de hidrogénio. Acreditamos também que a tecnologia da energia nuclear está a progredir bem e a tornar-se cada vez mais importante. Isto beneficia o urânio, ao qual também temos exposição no fundo3 .

As nossas perspetivas: o bom, o feio e o mau

Olhando para o futuro, as nossas perspetivas dividem-se em: o bom, o mau e o feio. O Bom é representado pelas perspetivas positivas de crescimento económico, o Mau indica as consequências a médio prazo do tapering e a subida das taxas. Acreditamos que o mercado só as começou a valorizar nas últimas semanas, e, finalmente, o Feio está relacionado com uma potencial estagflação, impulsionada pelo aumento dos preços da energia e exacerbado pela invasão russa da Ucrânia, e o seu impacto no rendimento disponível dos países ocidentais, especialmente na Europa.

Neste cenário, uma estratégia baseada na mera exposição ao risco de mercado, tanto de ações como de crédito, poderá oferecer uma trajetória ascendente limitada. Por isso, privilegiamos opções de seleção de valores idiossincráticos e exposição a estratégias alternativas, especialmente em ativos reais, e favorecemos uma abordagem flexível entre questões defensivas e cíclicas, como as telecomunicações, a energia e o setor industrial, e empresas capazes de gerar cash flows sólidos.


O Destination Value Total Return foi lançado a 05/04/2020. O desempenho passado não é um guia para resultados futuros. O desempenho futuro está sujeito a impostos que dependem da situação pessoal de cada investidor e podem mudar no futuro.

2 Fatores de risco: A categoria e o perfil de Risk and Reward é 6, o que significa alta e muito alta volatilidade. O indicador não tem suficientemente em conta o risco de contraparte, o risco de crédito, o risco de derivados, o risco de liquidez, o risco geopolítico, o risco operacional e o risco de depósito. Ao utilizar derivados, a utilização de alavancagem pode aumentar o risco potencial de perda ou retorno potencial. Os investidores podem correr o risco de perder parte ou a totalidade do seu investimento inicial.

3 As alocações/valores são fornecidos apenas para fins informativos e não devem ser consideradas como uma recomendação de comprFatores de risco: A categoria e o perifl de Risk and Reward é 6, o que significa alta e muito alta volatilidade. O indicador não tem suficientemente em conta o risco de contraparte, o risco de crédito, o risco de derivados, o risco de liquidez, o risco geopolítico, o risco operacional e o risco de depósito. Ao utilizar derivados, a utilização de alavancagem pode aumentar o risco potencial de perda ou retorno potencial. Os investidores podem correr o risco de perder parte ou a totalidade do seu investimento inicial.a ou venda nos valores mobiliários e/ou setores indicados. A alocação da carteira está sujeita a alterações.


Comunicação comercial relativa à Plenisfer Investments SICAV (o Fundo) e ao seu Sub-Fundo de Destination Value Total Return (o Sub-Fundo). Informação não destinada a investidores de retalho ou pessoas americanas. O Fundo é uma sociedade de investimento de capital variável em aberto (SICAV) ao abrigo da legislação luxemburguesa, classificada como empresa de investimento coletivo em valores mobiliários (OICVM). A Sociedade Gestora é a Generali Investments Luxembourg S.A., uma sociedade anónima pública (société anonyme) ao abrigo da legislação luxemburguesa. É autorizada no Luxemburgo e regulamentada pela Comissão de Supervisão do Setor Financeiro (CSSF). Esta comunicação vem da Empresa de Gestão. A Plenisfer Investment Management SGR S.p.A. foi nomeada Gestora de Investimentos do Fundo (a "Gestora de Investimentos"). Esta comunicação é emitida conjuntamente pela Gestora de Investimentos e pela Sociedade gestora. Antes de tomar qualquer decisão de investimento, deve ler o KIID, o Prospeto e os relatórios anuais e semestrais, especialmente no que diz respeito aos riscos e custos associados ao Sub-Fundo. Esta documentação está disponível gratuitamente em inglês na Generali Investments Luxembourg S.A., 4 Rue Jean Monnet, L-2180 Luxemburgo, Grão-Ducado do Luxemburgo, ou no seguinte endereço de e-mail: [email protected] Esta publicação não pode ser reproduzida (total ou parcialmente), transmitida, modificada ou utilizada para qualquer finalidade pública ou comercial sem a autorização prévia por escrito da Plenisfer. As informações contidas neste documento são consideradas exatas à data da sua preparação e são fornecidas para fins informativos. Os potenciais investidores devem avaliar se os riscos associados ao investimento são adequados à sua situação, bem como assegurar que compreendam plenamente este documento. Em caso de dúvida, recomenda-se consultar um consultor financeiro para determinar se o investimento é adequado. A informação contida neste documento baseia-se em dados do passado. A rentabilidade obtida no passado não é indicativa da rentabilidade futura. Do mesmo modo, não estão garantidos retornos equivalentes no futuro. O valor de um investimento e os rendimentos obtidos a partir dele podem aumentar ou diminuir, existindo a possibilidade de os investidores não recuperarem o montante inicialmente investido. Fatores de risco: risco de taxa de juro, risco de crédito, risco de capital, risco de mercado emergente (incluindo a China; não existe uma limitação pré-determinada da exposição a mercados emergentes, pelo que o risco de mercado emergente pode ser elevado em determinados momentos), risco de mercado fronteiriço, risco cambial e risco de volatilidade. Para obter mais informações sobre os riscos potenciais associados ao investimento no Fundo, consulte o prospeto.