Os maiores fundos de pensões e entidades gestoras de 2020

Reforma pensoes golf

Numa nota recente com valores provisórios sobre os montantes geridos dos Fundos de Pensões em 2020 a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) explicava que no final de 2020 o valor sob gestão destes veículos de investimento para a reforma atingiu 23 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de 5,5% face ao final de 2019. Um número muito positivo considerando os momentos de mercado que vivemos em 2020.

No entanto, mesmo com os altos e baixos dos ativos de risco em 2020, o ranking das entidades gestoras de fundos de pensões nacionais, mostra que nada variou em termos do que são as posições relativas em termos de ativos sob gestão. A maior entidade gestora mantém-se – destacada – a AGEAS Pensões, seguida da CGD Pensões e da BPI Vida e Pensões. Se somarmos a quarta e quinta posições, nomeadamente a GNB SGFP e a Sociedade Gestora do Banco de Portugal, ficam representados 80,5% do mercado nacional, o que representa uma significativa concentração.

Fonte: ASF

Os 25 maiores fundos de pensões, por seu lado, representam cerca de 85% do total dos montantes geridos, sendo que é preciso descer à 11ª posição para encontrar o primeiro fundo aberto do mercado, o Horizonte Segurança, da Ageas Pensões com 258,65 milhões de euros de ativos sob gestão. Os dez maiores fundos são fundos fechados do universo profissional bancário ou empresarial nacional, sendo liderados pelos fundos dos profissionais do Grupo BCP e do Grupo CGD.

O segundo maior fundo aberto é o BPI Valorização, com 253 milhões de euros, da BPI Vida e Pensões e em terceiro lugar encontra-se o Horizonte Valorização, também da Ageas Pensões e com 250,33 milhões de euros em ativos geridos.

De notar a ascensão significativa – e a mais relevante – do maior fundo aberto no ranking, que passou em 2020 de 24º maior fundo de pensões em Portugal para 11º.

Fonte: ASF