Porque é que a Amazon emitiu obrigações?

amazon fundos de investimento
Piotr Cichosz on Unsplash

Os mercados costumam ser difíceis para os investidores em maio. Os emitentes de títulos agarram uma janela de oportunidade após a temporada de lucros do primeiro trimestre e antes da calmaria típica do verão. Isto geralmente traduz-se numa grande oferta no final de abril e início de maio. Daí o velho ditado de Sell in May and go away.

Neste contexto, chamou a atenção a enorme emissão de títulos da Amazon na semana passada, o que pode ter sido uma surpresa para muitos, dado que a empresa divulgou recentemente números fortes do primeiro trimestre, com um impressionante fluxo de caixa operacional de 67.200 milhões de dólares nos últimos 12 meses e 4,2 mil milhões de free cash flow no primeiro trimestre.

Por que é que uma empresa com tanta liquidez no seu balanço decide emitir 18,5 mil milhões de dólares em dívida?

“A Amazon disse que a operação foi para fins corporativos gerais (aquisições oportunistas, capital circulante ...), o reembolso da dívida existente e a recompra de ações ordinárias. Se olharmos para o preço final, parece que esta é uma operação muito oportunista para o emitente, em níveis raramente disponíveis para as empresas, mesmo as mais importantes como a Amazon”, explica Gary Kirk, sócio da TwentyFour AM (boutique da Vontobel AM).

O negócio de oito tranches variou de um título de mil milhões de dólares a dois anos com um preço notável de T + 10 pontos-base, a um negócio de 1,75 mil milhões a 40 anos com um preço de T + 95 pontos-base.

AVALIAÇÃO

“Isso não significa nada em detrimento da Amazon. Tem sido um sucesso incrível e, na minha opinião, justifica a sua forte classificação A1 / AA- em todas as métricas de crédito. No entanto, questionaria qualquer investidor que afirme avaliar um empréstimo corporativo a 40 anos com menos de 1% de spread de crédito acima da taxa sem risco. E questionaria a lógica de investir num título corporativo a dois anos quando por apenas 10 pontos-base a menos poderá comprar o equivalente do Treasury. Com toda a liquidez adicional que este costuma oferecer”.

Para o profissional, não é difícil imaginar que, em algum momento dos próximos dois a 40 anos, será possível comprar esses títulos a preços mais baratos.

“Sem dúvida, acreditamos que esta é uma operação inteligente e um financiamento muito barato para a Amazon. No entanto, para nós, mostra o ímpeto com que se move este ciclo de crédito. E também a necessidade de os investidores serem cada vez mais exigentes na seleção de ativos. Se eu fosse uma grande empresa com classificação investment grade, provavelmente tentaria replicar essa operação; como investidor, simplesmente fico na defensiva”, finaliza o especialista.