Que áreas foram reforçadas pelas gestoras internacionais em outubro

gestoras internacionais, Que áreas foram reforçadas pelas gestoras internacionais em outubro
Créditos: Clark Van Der Beken (Unsplash)

Revemos as nomeações de gestores internacionais em outubro em busca de pistas sobre as áreas estratégicas em que estão a apostar.

ESG continua a ser o foco

Já é a norma na indústria. O investimento sustentável está a assumir os principais esforços de expansão das gestoras. E em outubro temos visto apostas muito fortes. A Tikehau Capital anunciou a criação do seu Centro de Ação Climática. É uma plataforma que aproveitará a inovação financeira e que se vai concentrar na descarbonização, biodiversidade, alimentação e agricultura sustentáveis, economia circular e consumo sustentável. O Centro de Ação Climática reunirá inicialmente mais de 30 profissionais de investimento, especialistas em ESG e assessores senior que já estão a trabalhar para lançar estratégias de investimento focadas no clima. Nos próximos meses, o Centro será reforçado com a adição de vários especialistas em clima e finanças sustentáveis.

Na mesma linha, a Schroders expandiu a sua equipa de investimento sustentável com a adição de quatro profissionais de renome nesta área. Margot Von Aesch foi nomeada responsável da Gestão de Investimentos Sustentáveis. Trata-se de uma função recém-criada, cuja missão engloba a análise em detalhe, o desenvolvimento de modelos de investimento sustentáveis e a garantia da integração contínua desta análise na tomada de decisões de investimento da Schroders. Angus Bauer junta-se como analista de Sustentabilidade para fortalecer a equipa de análise de Investimento Sustentável, reportando a Von Aesch. Além disso, Kimberley Lewis foi nomeada responsável de Ative Ownership e Katie Frame, gestora dentro da mesma equipa. Ambas vão reportar a Andy Howard, o responsável global da Schroders para o Investimento Sustentável.

Quem também optou por se reforçar em ESG foi a Capital Group. A gestora contratou Belinda Gan como diretora de Investimento ESG para clientes na Europa e Ásia.

Reforço das áreas insígnia

Durante o mês de outubro também vimos as gestoras apostarem nos seus negócios insígnia. É o caso da Jupiter AM. A empresa britânica anunciou duas nomeações para reforçar a sua estratégia de absolute return de rendimento fixo. Huw Davies torna-se gestor adjunto na área de Obrigações e Matthew Morgan assume o cargo de diretor de investimentos na área de Obrigações e Multativos.

A DPAM, por outro lado, optou por ações fundamentais, que se tornaram uma das suas principais áreas de especialização. Como parte da estratégia para continuar a avançar com o desenvolvimento desta competência, Ignace De Coene voltou a juntar-se à DPAM como gestor de fundos de ações. De Coene cogerirá com Jonathan Graas as estratégias de ações dos EUA e a temática agroalimentar. Como parte desta evolução, Graas, gestor sénior de fundos de ações, expande as suas competências como cogestor de estratégias sustentáveis e temáticas, juntamente com Tom Demaecker e Dries Dury, gestores de fundos de ações fundamentais.

A Carmignac, por sua vez, reforçou a sua área macroeconómica com a nomeação como economista da Apolline Menut, que se concentrará na zona euro. Menut reporta ao responsável de Economia Raphaël Gallardo.

Equipas comerciais crescem na EMEA

As equipas de desenvolvimento de negócio também estão a crescer. A AllianceBernstein reforçou-se na parte de produto e cliente na região EMEA com a nomeação de duas figuras de destaque em Londres. Honor Solomon juntar-se-á à firma como head of EMEA Retail Channel, enquanto Mike Thompson liderará a estratégia de desenvolvimento de negócios de Obrigações da AllianceBerstein. O negócio de retalho na EMEA tornou-se uma área de elevado crescimento para a AB. Os seus ativos sob gestão nesta área aumentaram 47% desde o início de 2019.

Por último, a PIMCO contratou Ayman Hindy para o cargo de diretor-geral para supervisionar a reengenharia e infraestruturas de gestão de carteiras. Neste papel recém-criado, Hindy centrar-se-á na supervisão operacional dos processos de gestão de carteiras, tecnologia e execução, garantindo uma integração perfeita da análise, tecnologia, gestão de risco e gestão de carteiras. Supervisionará o risco de produtos complexos, desenvolverá estratégias para melhorar a eficiência das salas de operações e implementará as melhores práticas em todo o complexo de alternativas PIMCO. Trabalhará em estreita colaboração com as equipas de Risco, Quantum e Analytics em várias iniciativas, incluindo a IA, a melhor utilização de dados e análise da PIMCO, e o processo de investimento de hedge funds da empresa, entre outras.