Rússia a um passo de ser excluída dos índices de ações da MSCI e de obrigações da J.P. Morgan

Rússia, Rússia a um passo de ser excluída dos índices de ações da MSCI e de obrigações da J.P. Morgan
Créditos: Michael Parulava (Unsplash)

As cada vez mais duras sanções que o Ocidente está a impor à Rússia pela invasão à Ucrânia estão a destabilizar o mercado russo. Algumas gestoras, como a Invesco, já anunciaram a liquidação dos seus fundos de ações europeias emergentes. Outras, como a J.P. Morgan AM, a UBS AM, a Franklin Templeton, a BlackRock, a Pictet AM, a HSBC Global AM, Raiffeisen ou a Liontrust, já se viram obrigadas a suspender temporariamente os seus produtos da Rússia e Europa emergente ao ser impossível calcular o valor da unidade de participação.

Expulsão dos índices MSCI e supressão do MSCI Rússia

Isto deixa as ações russas numa situação difícil. “O passo natural seguinte é que as suas empresas continuem excluídas”, assegurava esta segunda-feira um alto executivo do provedor de índices MSCI. “Não fazia muito sentido que continuássemos a incluir valores russos se os nossos clientes e investidores não pudessem realizar transações no seu mercado”, disse à Reuters Dimitris Melas, responsável de Análise de Índices da MSCI e presidente do Comité de Política de Índices.

Atualmente, a Rússia não é um mercado investível. Tal é assim que o próprio Melas não descarta a supressão do MSCI Rússia. O responsável de Análise de Índices da MSCI e presidente do Comité de Política de Índices assegurou que a empresa poderá lançar uma consulta aos investidores de forma imediata. O resultado poderá ser anunciado numa questão de dias em conjunto com as medidas adotadas. De momento, o MSCI Rússia permanece congelado. O seu peso no índice global de mercados emergentes é de 2,2%.

Previsível a saída da Rússia dos índices da J.P. Morgan

Mas a MSCI não é a única a sentir a pressão para excluir a Rússia dos seus índices. No mercado de obrigações acontece algo muito parecido perante as dificuldades que possam existir para operar com as suas obrigações devido às sanções do Ocidente. Neste sentido, tal como informa o Financial Times, espera-se que a J.P. Morgan anuncie a eliminação das obrigações russas nas versões ESG dos seus índices de obrigações de mercados emergentes.

O peso da Rússia na família EMBI de dívida soberana denominada em hard currency da J.P. Morgan oscila entre 4,9% do índice EMBI+ e o 1,6% da sua versão EMBI Global Diversified. No que respeita o índice em moeda local, o peso atual da Rússia é de 3,6%. Caiu 0,8 pontos desde o início do ano.