Update do UBAM Global High Yield Solution, o fundo que tem nos CDS a sua fonte de rentabilidade

UBAM Global High Yield Solution, Update do UBAM Global High Yield Solution, o fundo que tem nos CDS a sua fonte de rentabilidade
Créditos: Abed Ismail (Unsplash)

Ampla liquidez, grande diversificação e baixa exposição às taxas de juro são os três pilares no qual se baseia este fundo de gestão ativa da UBP AM, que conta com Selo FundsPeople 2021 pela sua classificação de Blockbuster. O seu universo de investimento concentra-se principalmente nos mercados dos EUA e da Europa e tem uma particularidade: investe apenas através de índices de CDS. “A utilização de índices de CDS de high yield permite superar as obrigações tradicionais de high yield em liquidez. Graças a isso, a estratégia permanece líquida em todas as condições de mercado, como foi demonstrado recentemente durante as vendas massivas que ocorreram durante a COVID-19”, refere o seu gestor, Philippe Graub.

Concretamente, a gestão da carteira é feita na sequência de um processo top-down orientado para a macroeconomia e é este processo que está também por detrás da exposição regional e a taxas de juro que se aplicam na seleção das emissões. Assim, o gestor considera que o principal risco que a carteira enfrenta é que haja uma subida inesperada das taxas de juro, embora isso não implique que não seja positiva no que diz respeito à evolução do mercado de high yield a curto prazo.

Otimismo a curto prazo

Acima de tudo, alega duas razões. A primeira, a sua confiança de que a recuperação económica que temos visto em 2021 permanecerá intacta, como se viu na melhoria da confiança dos consumidores e também no crescimento dos investimentos em bens de capital. E a segunda é a baixa taxa de incumprimento no mercado de high yield em comparação com antes da crise.  “As expetativas de incumprimento apontam para níveis abaixo da média: menos de 1% em 2021, quando a média histórica de longo prazo se situa nos 3,6% nos Estados Unidos”, afirma.

No entanto, esta situação de mercado pode mudar radicalmente no caso de haver um tapering que acabe por ter um impacto negativo no mercado, uma vez que, como explica o gestor, “os riscos para os mercados de high yield estão principalmente focados na subida das taxas” uma vez que uma subida abrupta da Fed provocaria certamente perdas de capital para investidores de high yield.

Neste momento, olhando para os números até agora, está a atingir esse objetivo de proporcionar retornos positivos num contexto complicado para o rendimento fixo, uma vez que obtém 9%, de acordo com os dados da Morningstar, 1 ponto percentual acima do que as obrigações high yield oferecem em média.