2020 foi um ano de crescimento para a Ageas Pensões e o primeiro ano de avaliação no contexto dos PRI

Fundo de pensões Ageas, 2020 foi um ano de crescimento para a Ageas Pensões e o primeiro ano de avaliação no contexto dos PRI
Créditos: Unsplash

A Ageas Pensões viu, em 2020, os seus proveitos decorrentes da prestação de serviços a atingirem os 12,9 milhões de euros, o que representa um incremento de 15,8% face a 2019. As comissões de gestão foram o maior contribuidor para este volume de receitas, atingindo os 12,29 milhões de euros, o que compara com os 10,77 milhões do ano anterior. As comissões de administração mostram uma evolução igualmente favorável, crescendo mais de 70% face ao ano anterior, para os 0,59 milhões de euros. 

A entidade gestora de fundos de pensões dá conta de comissões variáveis no ano de 56.345 euros (2019: 48.688 euros). 

Já os custos com comissões incluem 2,43 milhões de euros (2019: 2,14 milhões), decorrente de comissões de gestão das carteiras de investimentos efetuada pela BMO Portugal, entidade que deixou de ser a gestora dos fundos com efeitos a partir de passado mês de julho. A gestão foi, desde então, internalizada na estrutura do grupo Ageas. 

A gestora de fundos de pensões atingiu resultados líquidos do exercício no valor de 5,0 milhões de euros, um crescimento de 18,3% face a 2019.

Fundo de pensões Ageas, 2020 foi um ano de crescimento para a Ageas Pensões e o primeiro ano de avaliação no contexto dos PRI

Ativos sob gestão

O ano foi também muito positivo ao nível do volume gerido em todas as rubricas. No entanto, foi no mercado dos fundos de pensões abertos excluindo PPR que a “Ageas Pensões registou uma performance extraordinária em 2020, com um crescimento de 68,4% dos ativos sob gestão, quando o mercado cresceu 16,7% no total e apenas 5,6% se excluirmos a Ageas Pensões”, como indicam da entidade.

Fundo de pensões Ageas, 2020 foi um ano de crescimento para a Ageas Pensões e o primeiro ano de avaliação no contexto dos PRI

Abordagem ESG

A Ageas Pensões reporta os resultados da sua primeira avaliação como resultado de se ter tornado signatária dos Principles of Responsible Investment (PRI), em 2020. Indicam da entidade que foi alcançado “um resultado em linha com o score médio do universo dos signatários dos PRI - o que é um bom resultado para uma primeira avaliação. Nos scores obtidos existem dois resultados no investimento em ações que se desviam da média: abaixo da média, em Incorporation – no qual fazemos uma boa monitorização dos fatores ESG da carteira de investimentos, mas em que foi considerado ainda insuficiente a forma como os fatores ESG são integrados no processo de decisão - e, acima da média, em Active Ownership em que, resultado da subscrição do serviço Responsible Investment Overlay (REO) da BMO / F&C, conseguimos alcançar um score A, enquanto o score médio é de B”. 

Fundo de pensões Ageas, 2020 foi um ano de crescimento para a Ageas Pensões e o primeiro ano de avaliação no contexto dos PRI

Pan European Personal Pension Product

Sobre o futuro, a Ageas Pensões dá destaque ao novo produto pan-europeu de poupança para a reforma, o PEPP, cujo processo legislativo se encontra em curso. “Ao nível da poupança individual para a reforma, seria importante que se viessem a adotar medidas de estímulo, sendo que a prevista distribuição dos PEPP para meados de 2022, venha a ser alavancado por benefícios fiscais que os possam efetivamente dinamizar”, dizem da entidade. A Ageas Pensões espera vir a ser “uma das entidades pioneiras no lançamento deste poderoso instrumento de poupança em Portugal”.
Relembramos que, recentemente, a APFIPP promoveu uma troca de ideias e conhecimento sobre o Pan-European Personal Pension Product ou PEPP, no qual representantes da indústria e de entidades supervisoras tiveram a oportunidade de esclarecer os assistentes sobre muitas das questões que envolvem esta nova solução para a reforma sem fronteiras.