A abordagem ESG nos EUA: oito dos 10 fundos que mais captam são de gestão passiva

ETF ESG, A abordagem ESG nos EUA: oito dos 10 fundos que mais captam são de gestão passiva
Créditos: Meriç Dağlı (Unsplash)

A forte penetração que os fundos geridos de forma passiva alcançaram nos Estados Unidos, onde mais de metade dos ativos geridos pela indústria se encontram em veículos indexados, está também a ser transferida para a forma como o investidor americano aborda o investimento socialmente responsável. Embora a irrupção do fenómeno ESG ainda seja muito limitada (de acordo com dados da Morningstar, existem 343.000 milhões de dólares investidos em produtos sustentáveis, o que representa apenas 12% a nível global), é muito impressionante ver como, no primeiro trimestre do ano, dos 10 fundos socialmente responsáveis que receberam mais entradas líquidas, oito eram estratégias de gestão passiva. Conclusão: nos EUA, por enquanto, há pouco investimento em ESG, mas aqueles que apostam neste segmento preferem fazê-lo a um preço baixo.

De acordo com os dados da Morningstar, a Invesco Floating Rate ESG liderou o ranking de captações trimestrais. Foi o principal fundo de obrigações em termos de fluxos anuais no ano passado nos Estados Unidos. Este produto de gestão ativa da Invesco foi reorientado para um mandato sustentável no segundo semestre de 2020. Tem experimentado uma receção muito boa pelo mercado. Tem sido ajudado pelo facto de, face à subida das taxas de juro, os investidores se terem voltado para as floating bonds como cobertura, o que ajudou este fundo a acumular ativos. Entre janeiro e março deste ano, as entradas líquidas registadas atingiram os 1.224 milhões de dólares. É o único produto ESG que, em termos de captações, conseguiu ultrapassar a barreira dos 1.000 milhões no trimestre.

Igualmente notável é o que a iShares, plataforma ETF da BlackRock, conseguiu. A gestora do Larry Fink está a conseguir posicionar-se nos Estados Unidos como uma empresa de referência em matéria de ESG. No primeiro trimestre deste ano, conseguiu colocar quatro dos seus fundos cotados no Top 10 para captações líquidas. Isto faz com que seja a gestora que conseguiu posicionar mais produtos no ranking. Especialmente significativo é o que o iShares Paris Aligned Climate MSCI USA ETF conseguiu. Apesar do seu escasso track record (o produto foi lançado a 8 de fevereiro deste ano), conseguiu atrair 608 milhões de dólares. O investimento centrado no clima tem crescido tremendamente nos últimos anos, com quase 13 mil milhões de dólares em fluxos líquidos em 2021. E este produto está a atrair muito interesse.

Destaque ainda para a atração que está a ser experimentada pelo iShares ESG Aware MSCI USA ETF (captou 950 milhões de dólares no primeiro trimestre), o iShares ESG Aware MSCI EM ETF (com fluxos líquidos de 720 milhões de dólares) e o iShares ESG U.S. Aggregate Bond ETF (com quase 300 milhões de dólares).

Provedores de ETF com produtos que geram interesse nos EUA

Além da iShares, o ranking de gestoras que conseguiram captar mais dinheiro no primeiro trimestre com os seus fundos sustentáveis nos Estados Unidos incluem a Vanguard (a Vanguard ESG US Stock ETF recebeu 400 milhões de líquidos e o Vanguard FTSE Social Index (360 milhões), a Fidelity Investments (o Fidelity U.S. Sustainability Index também registou 360 milhões de entradas líquidas) e a DWS (o Xtrackers Emerging Markets Carbon Reduction and Climate Improvers ETF captou 300 milhões de dólares).

Na parte de gestão ativa, além da Invesco, a única gestora ativa que posicionava o produto ativo era uma subsidiária da Morgan Stanley IM: a Calvert. É uma entidade conhecida nos Estados Unidos, que se tem focado em investimentos responsáveis desde 1982. Conseguiu-o com uma estratégia de obrigações: o Calvert Bond, que totalizou 290 milhões de dólares.