Atualização do ranking completo das entidades gestoras de patrimónios

Gestão de patrimónios, Atualização do ranking completo das entidades gestoras de patrimónios
Photo by Andre Taissin on Unsplash

Os dados divulgados recentemente pela CMVM relativos a junho de 2021 mostram a fotografia mais atual e a evolução recente do ranking das entidades gestoras de patrimónios, com referência ao fecho do primeiro semestre do ano.

Estes dados de junho mostram um total de 48,58 mil milhões de euros de ativos sob gestão, um crescimento pouco expressivo, tanto em relação ao trimestre anterior (+0,17%) como ao período homólogo (0,36%).

Os números refletem também, ainda, quase 14 mil milhões de euros na esfera de gestão da BMO Portugal. A entidade gestora confirmou em março que a Ageas - o seu cliente em Portugal - comunicou a sua intenção de passar a executar internamente a gestão de ativos das diversas soluções de investimento do grupo em Portugal, o que terá um impacto posterior à data deste ranking. Este impacto deverá representar uma quebra próxima, em termos de valor, à escala do total de ativos geridos em junho pela entidade gestora de patrimónios e colocar o total de ativos nacionais neste segmento de mercado próximo dos 35 mil milhões de euros.

De destacar nestes dados divulgados pelo regulador, está a evolução anual dos ativos de três das empresas líderes, pela amplitude de variação. Por um lado, a GNB SGP que viu a sua quota de mercado recuar mais de 2 pontos percentuais. Por outro, a BPI Gestão de ativos e Banco Comercial Português que serguiram o caminho inverso e acumularam 1,48 e 1,39 pontos percentuais à sua quota de mercado, respetivamente (+731 e +682 milhões de euros, respetivamente).

Gestão de patrimónios, Atualização do ranking completo das entidades gestoras de patrimónios

Entre as entidades mais pequenas, o destaque vai para o crescimento notável da Lynx Asset Managers, que viu os seus ativos crescer de 5 milhões de euros para 19,4 milhões.

Também o Abanca, entidade líder na distribuição de fundos em Portugal, se destaca no período de 12 meses que terminou em junho, tendo mais que duplicado os seus ativos sob gestão em gestão discricionária.

Com um crescimento menor em termos relativos, mas significativo à sua escala, encontramos também o Banco Invest (+6,45 milhões de euros) e o Bison Bank (+1,88 milhões de euros).