CGD Pensões: valor patrimonial dos fundos geridos aumentou 8,20% em 2020

pensão
Photo by Alex Blăjan on Unsplash

Em 2020, os resultados líquidos do exercício da CGD Pensões atingiram os 2,58 milhões de euros. Apesar de este valor representar um decréscimo de 10% face aos 2,87 milhões de euros registados no ano anterior, este pode ser considerado um ano positivo para a CGD Pensões.

Segundo os dados do relatório e contas da entidade, o valor patrimonial dos fundos geridos pela CGD Pensões ascendeu a cerca de 4.435 milhões de euros. Este valor representa uma variação positiva de 8,20% face ao valor gerido no final do ano anterior.

Adicionalmente, a entidade de fundos de pensões manteve o número de fundos abertos e fundos PPR sob gestão. Por outro lado, a gestão de fundos fechados diminuiu. Desta forma, no final de 2020 a entidade geria 16 fundos de fechados (-1 do que 2019), quatro fundos de pensões abertos e um fundo PPR.

Ao observamos a desagregação dos ativos sob gestão por fundo de pensões no universo gerido, está evidente o peso do fundo de pensões do pessoal da CGD. No final de 2020, este fundo já representava mais de 75% do universo gerido. No relatório e contas a CGD Pensões realça ainda que “o fundo da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa é gerido, em co-gestão, pela CGD Pensões, pela Futuro e pela SGF, sendo a CGD Pensões a sociedade gestora líder”.

Comissões

As comissões de gestão e administração dos fundos de pensões atingiram os 6,41 milhões de euros no ano, o que compara com os 6,03 milhões de euros do ano anterior (+6,43%). De facto, apesar do decréscimo face a 2019, o FP Caixa Reforma Ativa continua a ser o fundo aberto mais relevante em termos de receitas – representando 1.210 milhões de euros.

De notar ainda que as comissões de transferência diminuíram significativamente em 2020 (-63% face ao final do ano de 2019).

Comissões de assessoria financeira

Já os custos e comissões pagas encontram-se desagregadas na tabela seguinte. Segundo a própria entidade gestora, a rubrica “Comissões de assessoria financeira” refere-se aos custos incorridos com “o contrato celebrado em 1 de abril de 2008 com a Caixa Gestão de Ativos pela gestão da totalidade dos ativos que integram as carteiras sob gestão da sociedade, assim como pela prestação de serviços de back office, controlo de risco e avaliação de performance". Fica ainda a nota de que a "CGD Pensões contratou a Fundger para a prestação de serviços de gestão dos ativos imobiliários dos fundos de pensões geridos pela CGD Pensões, bem como para a execução relativamente às contrapartes dos negócios imobiliários dos referidos fundos. Com a fusão da Fundger na Caixa Gestão de Ativos, as partes pretenderam harmonizar a relação existente, pelo que em 2021, a Caixa Gestão de Ativos celebrou um novo contrato com CGD Pensões.”.