Quais os produtos imobiliários que investem noutros fundos?

2271042003_3e0963aba0_b
Q u e n t i n, Flickr, Creative Commons

No final do mês de outubro os fundos imobiliários cujas sociedades que os gerem se encontram registadas na Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – registavam um valor de carteira de 9.657 milhões de euros, menos 0,7% do que foi registado no mês anterior. Se alargamos a análise e compararmos com o final do ano passado, então a queda situa-se nos 6%, o que em termos monetários representa cerca de 600 milhões de euros.

Segundo a Associação, são mais de três dezenas as entidades imobiliárias que compõem este segmento de mercado, sendo que apenas sete têm Unidades de Participação (UPs) de outros fundos em carteira, totalizando mais de 72 milhões de euros. Entre as entidades que têm produtos que investem noutros fundos de investimento, a Interfundos – que é a maior entidade do segmentoé aquela que aplica mais dinheiro. Os dados da APFIPP apontam para um investimento na ordem dos 39 milhões de euros no final de outubro, o que representa quase 55% do total aplicados por estas entidades. Em termos de fundos da entidade, é o Renda Predial aquele que investe mais em UPs, de entre os produtos cuja composição da carteira é partilhada pela Associação. No final de outubro o investimento ascendia a mais de 36 milhões de euros.

Com valores muitos próximos de investimento em UPs figuram três entidades: a GNB Gestão de Ativos, a Popular Gestão de Activos e ainda a Fundger. A primeira com um investimento de 8,3 milhões e a segunda com 8,2 milhões de euros . Já a Fundger, a segunda maior gestora do mercado imobiliário, regista um investimento em UPs no final de outubro na ordem dos 7,8 milhões de euros. Ainda com um investimento superior a 5 milhões de euros figura a Santander Asset Management. No final do décimo mês do ano a entidade tinha em carteira UPs de outros fundos no valor de 6,3 milhões de euros.

Com um investimento menor a dois milhões de euros figuram as restantes duas entidades: a Banif Gestão de Activos e a Floresta Atlântica. A primeira regista um investimento de 1,8 milhões de euros e enquanto a segunda ultrapassa os 350 mil euros.

As entidades que mais investem em UPs

por ordem alfabética

Gestora  Valor em UPs % do total investido
Banif Gestão de Activos  1 864,40 € 2,59%
Floresta Atlântica  351,40 € 0,49%
Fundger  7 809,90 € 10,84%
GNB Gestão de Ativos  8 356,20 € 11,60%
Interfundos  39 056,10 € 54,22%
Popular Gestão de Activos  8 271,40 € 11,48%
Santander Asset Management  6 318,70 € 8,77%
Fonte: APFIPP no final de outubro

Quais os fundos que investem em UPs?

Das sete entidades referenciadas pela APFIPP, encontramos 14 fundos que investem em UPs de outros produtos de investimento. Além do já mencionado Renda Predial da Interfundos que é o produto que mais investe em termos monetários, podemos destacar, também, o Caixa Reabilita que é gerido pela Fundger. Este fundo é aquele que tem a maior percentagem da carteira aplicada nestes ativos, com um total de quase 80% do investimento, sendo seguido pela Imopopular da Popular Gestão de Activos e do Bonança I, que também é da Fundger com 28,31% e 24,17%, respetivamente.

Os fundos que investem em UPs

Fundo Gestora % do investimento  Valor da carteira *
Caixa Reabilita Fundger 79,36%  4,98 €
Imopopular Popular Gestão de Activos 28,31%  20,35 €
Bonança I Fundger 24,17%  14,80 €
Renda Predial Interfundos 22,36%  161,76 €
Imorecuperação Santander Asset Management 17,69%  17,29 €
Fundes GNB Gestão de Ativos 4,80%  158,18 €
Ibéria Capital Floresta Atlântica 3,83%  9,11 €
Oceanico Interfundos 3,58%  2,04 €
Popular Arrendamento Popular Gestão de Activos 2,92%  51,36 €
Banif Gestão Imobiliária Banif Gestão de Activos 2,63%  15,15 €
Fundicapital Fundger 1,11%  17,29 €
Banif Imogest Banif Gestão de Activos 1,09%  92,07 €
Imosotto Acumulação Interfundos 0,79%  106,30 €
NovImovest Santander Asset Management 0,74%  326,48 €
Fonte: APFIPP no final de outubro. *em milhões de euros