Reação da Allianz Global Investors à fraude dos Structured Alpha: a gestora declara-se culpada

allianz structured alpha, Reação da Allianz Global Investors à fraude dos Structured Alpha: a gestora declara-se culpada
Créditos: Aaron Burden (Unsplash)

Já há reação oficial do grupo Allianz ao escândalo que sacode nos Estados Unidos a Allianz Global Investors. A entidade chegou a um acordo com o Departamento de Justiça dos EUA e com a SEC em relação à sua gama Structured Alpha, produtos que têm sido objeto de operações fraudulentas por parte dos seus gestores e que implicam perdas milionárias para investidores institucionais americanos, entre eles fundos de pensões de professores, clérigos, condutores de autocarros e engenheiros.

"Em conformidade com a resolução do Departamento de Justiça, a Allianz Global Investors Estados Unidos declarar-se-á culpada de um crime de fraude criminal de valores. A resolução da SEC estabelece que a gestora violou as leis dos valores norte-americanos. Estes acordos resolvem por completo as investigações do governo dos Estados Unidos sobre o assunto dos fundos estruturados", afirmam num comunicado publicado na página web da entidade.

Segundo explicam, a declaração de factos que acompanha a resolução do Departamento de Justiça estabelece que a má conduta criminal relativamente aos Structured Alpha se limitou a um número reduzido de pessoas que estavam à frente dos fundos estruturados que fazem parte desta gama, que já não colaboram com a entidade. A investigação levada a cabo pelo Departamento de Justiça dos EUA unicamente se circunscreve às más praxis levadas a cabo pela equipa.

A partir da sua sede na Flórida, a equipa de gestão dos Structured Alpha Funds era dirigida por Gregoire P. Tournant, membro do Comité Executivo da AGI US durante a maior parte do tempo em que ocorreram os factos. Também faziam parte Trevor L. Taylor e Stephen G. Bond-Nelson. Todos eles alteraram o valor e manipularam relatórios, documentos de marketing, performance attributtion, dados de rentabilidades e volatilidades diárias, mentiram sobre o limite de capacidade dos produtos e volatilidades diárias, e ocultaram a realidade sobre a magnitude do downside risk das estratégias.

A declaração de culpabilidade da Allianz GI é o motivo pelo qual a entidade foi considerada inábil para assessorar fundos registados nos Estados Unidos. A entidade também se viu obrigada a desfazer-se do seu negócio, anunciando a transferência para a Voya AM de um património próximos dos 120.000 milhões de euros, onde se inclui principalmente ações fundamentais, estratégias de income & growth e mercados privados. Fê-lo a troco de 24% do capital da empresa americana. É uma operação que ainda está pendente de aprovação do regulador americano.

“A Allianz GI espera que a SEC emita extensões que garantam que a resolução da AGI com o Departamento de Justiça não afete as atividades comerciais da PIMCO e da Allianz Life”, sublinham no Grupo Allianz.

Em relação aos acordos alcançados com as autoridades americanas, a Allianz Global Investors pagará 174,3 milhões de dólares ao Departamento de Justiça e 675 milhões como sanção às SEC. É uma quantia que poderá ser utilizada em parte como compensação aos investidores afetados. Entre as obrigações que também deverá assumir está o pagamento de 5.000 milhões de dólares em compensação aos participantes dos fundos Structured Alpha. A entidade refletiu todo esse dinheiro nas provisões estabelecidas tanto para o exercício de 2021 como para o primeiro trimestre de 2022.