Selecionadores europeus vs. selecionadores norte-americanos: semelhanças e diferenças

fundos marcas selecionadores, Selecionadores europeus vs. selecionadores norte-americanos: semelhanças e diferenças
Créditos: Robert Katzki ( Unsplash)

A última edição do Broadridge Fund Brand 50 (FB50), estudo de investigação que a cada ano realiza a Broadridge Financial Solutions entre os selecionadores de todo o mundo, mede e classifica a atratividade relativa da marca das gestoras de ativos em função das perceções dos que têm sob a sua responsabilidade a tarefa de eleger os produtos de investimento. O trabalho, que este ano cumpre a sua décima primeira edição, não só tem em conta 10 atributos de marca para revelar as principais entidades, como também permite analisar as semelhanças e diferenças entre os fatores aos quais dão mais importância os selecionadores europeus face aos americanos.

Os atributos considerados mais importantes por parte dos selecionadores de fundos variam em função do lado do Atlântico para o qual se olha. Os selecionadores europeus valorizam a "estratégia de investimento atrativa", como o aspeto mais importante, seguido do "pensamento orientado para o cliente" e "manter-se melhor informado" em igualdade de condições, em segundo lugar.

Pelo contrário, os selecionadores norte-americanos dão mais importância à solidez, à frente inclusive do pensamento orientado para o cliente. "Isto deve-se ao facto de procurarem segurança num contexto volátil", afirma Chris Chancellor, diretor de Inteligência de Mercado na Broadridge.

Nos EUA gostam de grandes provedores, na Europa valorizam o ESG

Embora geralmente os clientes desejem muitas opções, os selecionadores de fundos dos EUA tendem a depositar a sua confiança num número relativamente pequeno de produtos. “Muitos preferem provedores com uma ampla oferta de investimentos e uma combinação de produtos que funcione para a grande maioria dos investidores”, observa Chancellor. Em vez disso, na Europa, as marcas que mais impressionam os selecionadores são aquelas com fortes credenciais ESG, empresas nas quais se podem apoiar para se manterem atualizados sobre as mudanças regulatórias e as referentes a produto, que estão a acontecer.

A este respeito, o provedor de dados salienta que as gestoras na Europa com um histórico credível em investimentos verdes têm uma vantagem notável sobre os retardatários da indústria, com a introdução da SFDR nos mercados da UE a proporcionar uma medida de padronização e a facilitar uma maior diferenciação entre as marcas. Entre as conclusões do estudo também figura que o interesse pela sustentabilidade e pelos fornecedores de fundos temáticos foi uma tendência que se intensificou no ano passado em ambos os lados do Atlântico. “Isto aconteceu graças ao impulso causado pela procura dos investidores finais”, ressalta.

Semelhanças e diferenças no ranking de gestores com melhor imagem de marca na Europa e nos EUA

As diferentes prioridades dos selecionadores na Europa e nos Estados Unidos refletem-se nas composições dos rankings de avaliação por imagem de marca, onde se observam semelhanças, mas também diferenças. Por exemplo, nos Estados Unidos, as 10 gestoras mais reconhecidas pelos selecionadores são grandes casas, com um histórico sólido e uma ampla gama de soluções de investimento. Não há nenhuma estrangeira. São todas americanas.

Na Europa, por outro lado, no Top 10 há um equilíbrio perfeito entre as casas europeias (Pictet AM, Robeco, Amundi, Schroders e Nordea AM) e as norte-americanas (BlackRock, JP Morgan AM, Fidelity, PIMCO e Morgan Stanley IM ). Para além disso, também se verifica a maior inclinação pelo ESG (onde as empresas europeias estão mais avançadas) com a presença no ranking de entidades sediadas em países onde a sustentabilidade está estabelecida há algum tempo: principalmente França, Holanda e países nórdicos.

BlackRock, a gestora com a melhor imagem de marca nos dois lados do Atlântico

A BlackRock é a gestora com melhor imagem de marca, tanto nos Estados Unidos como na Europa. É a principal semelhança entre os dois mercados. Para além da entidade presidida por Larry Fink, apenas a J.P. Morgan AM e a PIMCO aparecem em ambos os rankings. Nesse sentido, há diferenças marcantes.

Por exemplo: nos Estados Unidos, a Vanguard é a entidade com a segunda melhor imagem de marca. E isso deve-se, fundamentalmente, à atratividade dos seus veículos de gestão passiva, que já representam mais de 50% dos ativos da indústria americana. Na Europa, por outro lado, não aparece no Top 10. Isto explica-se, em grande medida, pela menor penetração dos produtos (cuja procura é absorvida por outros provedores). Mas também devido ao esforço comercial mais tardio feito pela entidade deste lado do oceano.

Um caso muito semelhante poderia ser o da Capital Group. Nos Estados Unidos, a entidade, que assim como a Vanguard está entre as maiores do mundo, mas focando o seu negócio na comercialização de fundos de gestão ativa, é terceira entidade com a melhor imagem de marca. No entanto, na Europa não está no Top 10. A gestora trabalha para investidores europeus desde 1962, altura em que a entidade abriu o seu primeiro escritório fora dos Estados Unidos, em Genebra. Em 1979 fez o mesmo movimento em Londres. Mas a expansão para o resto da Europa veio muito mais tarde. Na Península Ibérica, por exemplo, foi em 2014.

As gestoras com melhor imagem de marca nos EUA em 2022

Posição no rankingGestora
1.BlackRock
2.Vanguard
3. Capital Group
4. Fidelity Investments
5.J.P. Morgan AM
6.PIMCO
7.T. Rowe Price
8.Goldman Sachs AM
9.Franklin Templeton
10.Dimensional Fund Advisors
Fonte: FB50 2022

As gestoras com melhor imagem de marca na Europa em 2022

Posição no rankingGestora
1BlackRock
2J.P. Morgan AM
3Fidelity International
4Pictet AM
5Robeco
6Amundi
7Schroders
8Morgan Stanley IM
9PIMCO
10Nordea AM
Fonte: FB50 2022