Vontobel Fund mtx Sustainable Emerging Markets Leaders: disciplina e foco ESG

Vontobel Fund mtx Sustainable Emerging Markets Leaders, Vontobel Fund mtx Sustainable Emerging Markets Leaders: disciplina e foco ESG
Créditos: Vontobel AM

Disciplina e foco. Estes são, nas palavras dos seus gestores, os dois motores por detrás do Vontobel Fund mtx Sustainable Emerging Markets Leaders. O fundo da Vontobel AM pode orgulhar-se de ser uma das poucas estratégias de ações emergentes com o Selo FundsPeople 2021 devido à sua classificação tripla ABC. Ou seja, é um favorito de Analistas, Blockbuster e também Consistente. Por detrás desse reconhecimento existe um trabalho preciso e comprometido. 

"Manter-se fiel às convicções de investimento é o maior desafio para qualquer estratégia ativa", reconhecem Roger Merz e Thomas Schaffner, gestores do fundo. Isto pode ser especialmente difícil em períodos em que os mercados não conduzem ao estilo de investimento de uma estratégia. "Garantir que os nossos clientes entendam o nosso estilo de investimento é a base do que fazemos na equipa mtx", afirmam. Na sua opinião, esta abordagem tem sido seu maior sucesso. E, precisamente por isso, não é algo que dão por garantido. “Também é importante aceitar que, como seres humanos, todos cometemos erros; o mais importante é aprender com eles ”, insistem.

A equipa mtx argumenta que o maior impulsionador do preço das ações de uma empresa é sua capacidade de investir de forma rentável. “Além disso, uma posição forte no setor permite que algumas empresas mantenham por mais tempo um maior retorno sobre o capital investido”, afirmam. Portanto, o seu processo de investimento visa identificar estas empresas e, ao mesmo tempo, garantir que ofereçam um potencial atrativo valorização e atendem aos seus requisitos mínimos de ESG.

Atualização do Vontobel Fund mtx Sustainable Emerging Markets Leaders

A equipa de gestão reconhece que os mercados emergentes passaram por um período difícil nas ações. Os motivos são diversos, mas duas preocupações principais destacam-se: o aumento dos níveis de restrições devido à disseminação da variante delta e as preocupações com a desaceleração do crescimento chinês. Estas duas frentes têm servido para gerar ventos contrários significativos para esta classe de ativos.

Mas os gestores não dão uma leitura negativa. “Onde há volatilidade também há oportunidades, principalmente para um processo disciplinado como o da mtx”, defendem. É uma frase que expõe muito bem a filosofia da equipa nos mercados. Por exemplo, no início deste ano usaram a queda das ações chinesas como uma boa janela para comprar alguns nomes de alta qualidade no mercado interno da China (China A). 

Dito isto, embora acreditem que o aumento da alocação em ações A da China beneficiará a sua carteira a médio e longo prazo, reconhecem que a sua sobreponderação em relação à China acarreta risco. “O risco regulatório é talvez a principal preocupação do mercado. É importante que o nosso processo incorpore esse risco de forma quantificável e estruturada”, esclarecem.