Wells Fargo AM muda de marca para Allspring Global Investments e inicia uma transição na sua liderança

Wells Fargo, Wells Fargo AM muda de marca para Allspring Global Investments e inicia uma transição na sua liderança
Joe Sullivan. Créditos: Cedida (Wells Fargo AM)

A gestora americana Wells Fargo AM anunciou uma transição no seu modelo de negócio. A entidade vai mudar de marca e liderança. Sob o novo nome de Allspring Global Investments, a gestora vai operar como uma empresa independente do banco. O movimento acontece meses depois da compra da empresa por parte das entidades de capital de risco GTCR LLC e Reverence Capital Partners.

Como parte desta transição, a entidade renovou os seus cargos diretivos. O veterano executivo da indústria Joseph A. Sullivan vai tornar-se CEO. O ex-CEO da Legg Mason manterá a sua função previamente anunciada de presidente executivo. Sullivan vai suceder a Nico Marais, o atual CEO da WFAM, que se vai reformar no encerrar da transação e continuará a servir a Allspring como assessor sénior.

Segundo explicam no comunicado, o nome Allspring Global Investments reflete a rica história de liderança de investimento da nova empresa independente e o seu compromisso com a renovação, crescimento e resultados significativos para os clientes. Espera-se que a mudança de nome se torne efetiva na segunda metade de 2021.

“Sinto-me honrado e cheio de energia por ter a oportunidade de liderar a Allspring, enquanto entramos numa nova era para a empresa”, afirma Sullivan. “Ao passar tempo com Marais e com a organização durante os últimos meses, impressionou-me incrivelmente a profundidade da experiência de investimentos e a qualidade dos nossos colaboradores, assim como a capacidade de liderança. O nosso novo nome realmente encarna uma cultura corporativa renovada e o compromisso de continuar a investir cuidadosamente e associar-nos aos nossos clientes para navegar no futuro”, assegura.

Uma nova etapa após a entrada de capital privado

No passado mês de fevereiro, o banco americano Wells Fargo anunciou a venda da sua divisão de gestão de ativos à GTCR e à Reverence Capital Partners. As duas empresas de private equity pagaram 2.100 milhões de dólares pelos 603.000 milhões em ativos da Wells Fargo Asset Management. No momento da operação foi anunciada a mudança de marca.

A GTCR e a Reverence Capital são duas empresas de capital de risco com experiência prévia no mundo da gestão de ativos. Ambas têm um histórico de crescimento de negócios de gestão de património e ativos a longo prazo.