Wells Fargo AM vendida por 2.100 milhões de dólares a duas empresas de private equity

Wells Fargo AM, Wells Fargo AM vendida por 2.100 milhões de dólares a duas empresas de private equity
Photo by Charles Deluvio on Unsplash

O banco americano Wells Fargo vendeu a sua divisão de gestão de ativos à GTCR e à Reserverance Capital Partners. As duas empresas de private equity vão pagar 2.100 milhões de dólares pelos 603.000 milhões em ativos da Wells Fargo Asset Management. Quando se completar a operação, a nova gestora operará sob uma nova marca.

A GTCR e a Reservance Capital são duas empresas de capital de risco com experiência prévia no mundo da gestão de ativos. Segundo afirmam no comunicado, ambas têm um histórico de sucesso de crescimento de negócios de gestão de patrimónios e ativos a longo prazo e vão proporcionar à WFAM os recursos e a experiência para aprofundar as suas inovadoras soluções de investimento. A Wells Fargo AM conta com 450 profissionais repartidos entre 24 escritórios a nível globais.

Sujeito a aprovação do regulador, espera-se que a operação fique concluída na segunda metade de 2021. O Wells Fargo vai manter uma participação minoritária na gestora, de 9,9%. Também vão continuar vinculados como cliente importante e partner de distribuição.

“Operar como uma empresa independente como empresa de carteira da GTCR e da Reverence Capital vai proporcionar numerosos benefícios aos clientes, empregados e parceiros estratégicos da WFAM – incluindo o Wells Fargo. Ao mesmo tempo, esta transação reflete a estratégia do Wells Fargo de se centrar nos negócios que servem os nossos principais clientes de consumo e corporativos, e vai-nos permitir centrar-nos ainda mais no crescimento dos nossos negócios de banca privada e corretagem”, explica Barry Sommers, CEO da divisão de Wealth & Investment Management do Wells Fargo.

Nico Marais, diretor-geral da WFAM desde junho de 2019 continuará no cargo. O profissional e a sua equipa de liderança vão continuar a supervisionar o negócio. Joseph A. Sullivan, antigo presidente e CEO da Legg Mason, será nomeado presidente executivo da administração da nova empresa após o fecho da transação.

“Como organização independente, a WFAM passa para a fase seguinte do seu crescimento e está posicionada para ampliar a sua abordagem baseada em soluções, ofertas multiativas, contas de retalho geridas de forma independente e produtos de investimento personalizados”, afirma Milton Berlinski, cofundador e sócio diretor da Reverence Capital.