AXA IM renuncia ao termo ESG para identificar os seus fundos sustentáveis

AXA IM, AXA IM renuncia ao termo ESG para identificar os seus fundos sustentáveis

Interessante movimento no mundo do investimento sustentável. A AXA Investments Managers anunciou a mudança do nome dos seus fundos mais centrados em ESG. Em vez de utilizar este termo, vão incluir a palavra ACT no nome oficial do fundo para simplificar a sua gama perante distribuidores e investidores finais. A gestora, na sua própria página online, indica atualmente o seguinte repto: "Act for human Progress by investing for what matters".

Porque o fez?

Segundo Hans Stoter, diretor global da AXA IM Core, tanto os clientes como os reguladores pedem cada vez mais transparência e simplicidade às gestoras de ativos no momento de ajudar os investidores a entender como comparar os diferentes produtos ESG. “Acreditamos que uma categorização mais clara da nossa oferta vai contribuir para solucionar isto. Em concreto, a aplicação de um nome comum a todos os produtos que se enquadram nesta categoria ESG mais rigorosa pretende ajudar os nossos clientes a identificar facilmente estes fundos e a estar cientes dos critérios”.

Tal como indica, o desenvolvimento da sua gama de fundos ACT reforça o compromisso da entidade com o investimento responsável e com ajudar as pessoas a investir melhor. “Temos a intenção de continuar a ampliar a nossa gama ACT, já que acreditamos que é fundamental capacitar os investidores para que atuem perante a desafios-chave como as alterações climáticas”, adianta.

O que procura esta gama

A gama de fundos ACT da AXA IM pretende abordar objetivos específicos de sustentabilidade em torno das questões como as alterações climáticas e a desigualdade, com o fim de alcançar os melhores resultados possíveis relacionados com os critérios ESG e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS).

Têm como objetivo proporcionar uma clara categorização para os clientes das ofertas de produtos e estratégias ESG que incorporam critérios ESG em diferentes graus. A incorporação do nome comum ACT proporciona uma clara identificação, não só satisfazendo a procura de soluções simplificadas de investimento responsável e a necessidade de transparência, mas também facilitando a comparação dos diferentes produtos a nível de integração ESG.

A AXA IM indica que todos os fundos da gama ACT estão classificados como artículo 9 segundo o Regulamento de Divulgação de Finanças Sustentáveis da UE (SFDR).

Os nomes dos fundos da gama ACT estão a mudar gradualmente para incluir a palavra ACT, o que acontecerá em várias ondas que começaram em agosto e setembro de 2021. Até ao fim, alguns fundos também serão remodelados ou lançados, dependendo de aprovação regulamentar.

Os fundos que mudam para ACT

Atualmente, como parte da primeira onda, sete fundos foram rebatizados. Trata-se do AXA WF Framlington Human Capital que passa a ser AXA WF ACT Framlington Human Capital; do AXA WF Framlington Social Progress que passa a ser AXA WF ACT Framlington Social Progress, do AXA WF Multi Asset Optimal Impact que passa a ser AXA WF ACT Multi Asset Optimal Impact; do AXA WF Global Green Bonds que passa a ser AXA WF ACT Global Green Bonds; do AXA WF US High Yield Bonds Low Carbon que passa a ser AXA WF ACT US High Yield Bonds Low Carbon; do AXA WF US Corporate Bonds que passa a ser AXA WF ACT US Corporate Bonds Low Carbon, e do AXA WF Framlington Clean Economy que se torna no AXA WF ACT Framlington Clean Economy.

A gama de fundos ACT da AXA IM incorpora fatores de sustentabilidade no processo de construção da carteira, aderindo aos padrões ESG da AXA IM que ajudam a gerir os riscos ESG e se centram em questões materiais como as alterações climáticas, a saúde e o capital social, ao mesmo tempo que consideram as controvérsias graves, assim como a baixa qualidade ESG. A gama ACT também englobará os fundos ESG lançados recentemente pela AXA IM, como o fundo AXA WF ACT US High Yield Bonds Low Carbon, lançado em abril de 2021.